Criar um Blog-Sexy
Meu Blog-Sexy
Denunciar
Próximo Blog
Observadores do Prazer

Minha Primeira Vez


 Olá galera! Atendendo a pedidos, vou contar como perdi meu cabaço. O marido da minha tia é o meu padrinho e sempre foi muito “carinhoso” comigo. Lembro de mim bem pequena e ele me dando banho. Eu adorava pq ele demorava muito esfregando minha bucetinha. Aquilo me deixava toda arrepiada e depois meio molinha. Acho que foi esses “banhos” que me despertou a tara por sexo desde pequena. Passei a brincar de médico com todos os garotos da minha rua. A gente se escondia em lugares como porão, despensas e tirava a roupa. Daí a gente ficava se tocando e os meninos esfregavam as piquinhas na minha buceta. Meu tio já não me dava mais banho, mas me colocava no colo dele e ficava se ajeitando. Eu sentia o pau dele crescer e aquilo me dava uma sensação muito gostosa. Eu ia muito a casa dele e um dia consegui ficar sozinha com um garoto no porão. Tirei minha roupa e ele tava me chupando, qdo titio chegou. - Que isso!!! O coitado do garoto vestiu a roupa correndo e sai em disparada. Fiquei sem ação. Estava em pânico achando que ia levar uma bronca. Titio mandou eu vestir minha roupa e acompanhá-lo. Trancou a porta da rua, colocando o trinco de segurança por dentro e me levou para o quarto. Me mandou sentar na cama ao seu lado. Eu tremia de nervoso. Ele disse: - Flavinha, desde qdo vc faz isso? - Titio…eu…eu…foi a primeira vez. - Amor não minta pra o titio. - É…nào sei…é…já fiz um tanto. - E eles metem na sua bucetinha? Pode confiar no tio. Não vou brigar com vc. só quero conversar. - É…Só esfrega. - E vc já viu algum pinto de adulto? - Não…quer dizer, vi um dia pela fresta da porta o senhor nu. - E o que eu tava fazendo? Pode falar. - O senhor ficou nu e depois colocou o pinto na buceta da tia. - E vc gostou de ver? - Sim. - Quer ver agora? - É…quero… Ele ficou nu e eu vi de perto pela primeira vez um pau de verdade. Grande, grosso e duro. - Quer pegar? - e colocou minha maozinha no pau - faz assim pra o tio - e me ensinou a punhetar. Fiquei ali punhetando e ele dizendo que tava gostoso - Agora é a sua vez de mostrar a bucetinha pra o tio - Tirou toda a minha roupa, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha buceta. Que delícia!!! Ali sim era uma chupada. Tive meu primeiro orgasmo. Meu corpo tremeu todo e saiu uma gosminha na minha bucetinha. Depois me ensinou chupar o pau. Chupei meio sem jeito, ele foi me ensinando. Claro que não cabia na boca, mas ele tava gostando. Qdo estava quase gozando, esfregou o pau na minha buceta e gozou na portinha dela. Depois fomos tomar banho. - Ai titio eu tava com saudade desse banho… - Pois é, a gente vai brincar sempre, mas promete que ninguém vai saber. É nosso segredinho. De hoje em diante vc vai ser a putinha do tio, topa? - Topo. Não vou falar pra ninguém. Nem pra Simone (minha melhor amiguinha). - Ninguém, mesmo. Depois disso sempre dávamos um jeito de brincar. Eu tava cada vez mais esperta e ele me fazendo gozar cada vez mais gostoso. Isso durou uns quase 5 anos. No dia em que tava fazendo 11 anos a gente foi brincar e eu disse: - Titio não acha que já pode me comer? igual aos filmes que a gente ver? - Mas vc ainda é muito novinha. Nem menstruou. - Ele me ensinava tudo sobre sexualidade. - Mas titio eu quero. Vejo o senhor metendo na tia, eu quero tbém. - Continua assistindo nossas trepadas, né danadinha. - O senhor faz com a porta entreaberta…aí eu olho. Eu adoro. E quero que o senhor meta em mim. Ele colocou a minha mão no pau dele… - Será que vc vai aguentar isso nessa bucetinha? - Aguento, me dá ele de presente de aniversário. - Ok. Pegou um lubrificante na cômoda. Abriu minhas pernas, lambeu minha bucetinha, fizemos um 69 durante um tempinho. Tornou me colocar na posição papai-mamãe, lubrificou minha buceta por dentro e por fora e colocou o apu na entrada. Pressionou, tava apertado, entrou a cabeça. - Ai, ai… - Falei que vc não ia aguentar. - Eu aguento, vou ficar quietinha. Pressionou mais encontrou a resistência. Me distraiu chupando meus peitos, meu pescoço…e quando eu menos esperava deu uma estocada. Dei um grito, vi estrelas, ardeu muito. Ele ficou quietinho e disse: - Seu cabacinho se foi. Agora vou ficar quietinho pra parar de arder um pouco. Vc que vai mexer qdo aliviar. Aliviou a dor e eu aos poucos fui mexendo. Qdo vi tava rebolando no pau do meu tio, mastigando ele. Gozei uma vez, fiquei molinha. Ele tomou as rédeas da foda e começou a meter gostoso até que me inundou de porra e caiu arreado em cima de mim. Ficamos assim um tempinho. Aí ele levantou com o pau pingando sangue. Fomos pro banheiro, ele me deu um banho, a buceta tava dolorida, ele massageou e chupou dizendo que era pra aliviar a dor. - Pronto Flávia, agora vc é mesmo a puta do titio. Vou te ensinar muitas coisas. Quero vc cada vez mais putinha. Vou comprar um anticoncepcional pra vc, para evitar filho. Mesmo não tendo menstruado ainda, ninguém sabe, né? Não posso te levar no médico, pq ele vai descobri que te comi. Uns dois meses depois eu menstruei, mas sou puta do meu tio até hoje. Já fui casada, mas nunca deixei de trepar com ele que tem hj 68 anos, mas trepa como ninguém.

11:36 - 28/12/2012 - comments {0}

VIRGINDADE PERDIDA A 3


Olá meu nome é Larissa tenho 18 anos, tenho peitos médios, bunda grande pernas grossas e cintura fina, minha amiga Mariana tem 19 anos com os peitos grandes, bunda pequenas, pernas grossas. Estávamos na casa dela, decidimos dar uma festinha, compramos bebidas e ninguém apareceu, ficamos bebendo só eu e ela, quando deu 4:00 da manhã decidimos subir e ver quem estava online no Facebook, então surgiu um “Oi Mari” do além, como a Mariana sempre foi mas descarada e depravada do que eu e ainda com efeito da bebida na mente começou a dar mole pro menino que nunca tinha visto, bonito, forte, pele clara. Papo vai papo vem Mariana decide se encontrar com o tal Victor que nunca tinha visto pessoalmente, Somos do tipo aventureiras? então fomos.
4:30 da manhã saímos de casa, fomos andando até umas duas esquinas depois da casa da Mariana e estava lá um Honda Civic parado nos esperando, demos uma golhada na Big Apple pura e entramos no banco de trás, fomos pra perto do colégio a onde estudamos e onde estava mas escuro, então ele empurrou os bancos pra frente e passou pra trás, começou a beijar a Mariana e eu bebia cada vez mais, então ele logo em seguida começou a me beijar e começou a tocar a Mariana, depois ele pediu que a gente se beijasse, e foi o que aconteceu, começamos a tirar nossas roupas até vermos que estávamos todos nus. Como Mariana não era mais virgem ele começou por ela, colocando ela de quatro, eu na frente dela de pernas abertas e com a minha bocetinha fechadinha no rosto dela, e ele atrás dela chupando aquela bocetinha que já estava molhadinha só com os dedos dele, começamos um sexo oral um no outro. Depois disso na mesma posição Mariana continuava me chupando e ele se preparando para foder ela, então enfiou tudo de uma vez tirou da Mariana deu um gemido alto, então começou com muita rapidez a comer a Mariana, tirando e botando aquela piroca com o tamanho normal e uma grossura exitante, e cada vez ia mas rápido arrancando da Mariana gemidos altos e dolorosos, Mariana começava a me apertar, ele perguntou se estava doendo ela disse que sim ele perguntou se ela queria que ele parasse e fazendo caras e bocas espondeu não e pediu mais e mais, depois trocamos, ele ficava olhando enquanto fazíamos um delicioso 69, em cada chupada uma arrancava gemidos e apertos das outras, sinto que a Mariana gozou na minha boca me Fazendo gozar automaticamente logo em seguida. Voltamos ao sexo a três, ele sentado no apoiador de braços do carro, começamos a chupar aquela piroca gostosa, primeiro foi eu mamando bem gostoso, depois a Mariana, ai foi quando ela me chamou pra nos duas chuparmos juntas aquela piroca boa, chupando do começo ao final juntas, dando aquelas cuspidas de leve e engolindo as bolas dele, nós duas o levava a loucura, Então ele voltou a foder a Mariana, ela com os joelhos no banco e descostas pra ele, ele foi enfiando com força e casa vez que ela gemia ele ia com mais força e rapidez fazendo ela gemer mais alto ainda. Com os vidros embaçados e todos pingando de suor ele decidiu ligar o ar e a Mariana reclamou dizendo que não. Logo depois disso foi quando entrei em pratica, como era virgem tentei dar pra ele, seria uma coisa boa de recordar e contar, “perdi a virgindade em um sexo a três com a minha amiga Mariana em um carro com um menino que tinha acabado de conhecer, porem bonito e gostoso” então fui tentei, confesso que doeu, só que como estava meio bêbada e com muito tesão louca para sentar naquela piroca não senti muita coisa, então comecei de vagar ele sentado e eu encima dele com total vantagem sobre o meu limite de dor, comecei de vagar, senti que aquela piroca estava entrando na minha bocetinha apertadinha, e sentia cada vez mais ela dentro de mim, gemia de dor e a Mariana do meu lado me dando total apoio e rindo da situação, então ele viu que já estava sentando em tudo e me botou de quatro, meio desajeitado foi entrando em mim, e então comecei a pedir foça e mais força, e ele ia rápido conduzindo aquela piroca que me tirava gemidos alucinantes, depois de uns minutos assim tinha esquecido da dor e então tive o meu segundo orgasmo. Depois disso ele colocou a Mariana de quatro, e começou a colocar com pressão na bocetinha dela que já estava ficando inchadinha de tanto ele socar nela, depois ela mudou a posição deitando com a cabeça no meu colo e abrindo as pernas, ele começou a tirar e por, tirar e por, com rapidez levando a Mariana dar gemidos altos e a dá arranhadinhas na escotas dele levando ela ter o seu segundo orgasmo.
Depois disso ele gozou na nossa cara nos deixando meladas. E então se vestimos e fomos embora depois de uma hora se sexo, como se nada tivesse acontecido.

11:33 - 28/12/2012 - comments {0}

Safadinhas.


Era mais ou menos 3 da manhã. A noite havia sido longa. Assistimos filme de terror, não estava conseguindo dormir. Mal fechava os olhos e lembranças do filme começavam a vir na minha cabeça. Estava quase pegando no sono quando minha bexiga começa a pedir para ser esvaziada. Levanto. Coloco meus pés no chão frio e caminho morrendo de sono em direção ao banheiro. Percebo que ela não está em sua cama. Onde será que foi? Chego na porta do banheiro. Antes de abri-la, ouço uns barulhos vindo do banheiro, pareciam gemidos. Abro a porta lentamente para averiguar o que estava acontecendo. Meus olhos mal podiam acreditar no que estava vendo. Seus cabelos ruivos estavam caindo sobre seus seios nus, sua espressão facial estava tensa, seus dedos estavam movimentando seu clitoris. Fiquei excitada ao ver minha melhor amiga daquele jeito. Nua, sentada na pia, se dando prazer. Bato na porta. Logo, ela se endireita e abre-a, colocando somente a cabeça para fora. Ela vê que sou eu e abre completamente a porta. Vejo seu corpo exuberantemente lindo nu. Ruiva. Seios fartos. Caucasiana. Lábios vermelhos. Por que será que estou me sentindo assim? Não sou lésbica, ou pelo menos, nunca achei que fosse. Ela sempre foi minha melhor amiga, por que estou sentindo isso agora? Pergunto a ela se está com algum problema, pois ouço ruídos do meu quarto. Ela ri. Me explica que teve um sonho erótico e que sentiu vontade de masturba-se. Enrubeceu. Ela nunca havia me contado que se masturbava, por que do nada ela resolve me falar? Pior: Por que, do nada, ela resolve fazer isso em minha casa? Perguntei como foi o sonho. Ela enrubeceu mais ainda. Protelou. Até que disse que o sonho foi comigo. Me excitei. Disse que ela estava muito bonita, principalmente daquele jeito. Ela me beijou. Senti seus lábios carnudos e vermelhos nos meus. Seus seios nus encostavam nos meus seios cobertos por uma camisola. Estava muito confusa. Como seria nossa amizade daqui para frente? Ela começou a tirar minha camisola, lentamente. Apalpei seus seios, um por um. Ela mordia meus lábios. Mordi o bico de seus seios. Peguei em sua buceta, estava molhada a ponto de deixar minha mão completamente enxarcada. Ela gemeu em meu ouvido. Ela lambeu meus seios e foi abaixando a cabeça. Tirou minha calcinha com a boca, me segurou no colo e me sentou na pia, deu leves beijos na minha coxa até que chegou na minha buceta. Ela lambia de um jeito que me deixava louca. Estava mais confusa ainda, mas estava tão excitada que todos os nossos anos de amizade se tornaram inuteis. Pedi para ela parar. Botei ela sentada na tampa do vaso e disse, baixinho em seu ouvido, que nunca mais ia deixar ela ficar se masturbando, a partir de hoje, eu faria isso por ela. Comecei a esfregar meus dedos em seu clitoris, ela começou a ficar com espressões tensas. Enfiei dois dedos e ela gritou. Continuei esfregando e enfiando dois dedos, ela gritava, gemia, se contorcia e quando ela estava chegando perto de gozar, parei. Tive uma ideia ainda melhor. Abri suas pernas o maximo que pude. Coloquei minha buceta perto da dela e fiquei esfregando. O atrito de nossas duas bucetas molhadas e morrendo de tesão nos deixou louca. Gritavamos e gemiamos como duas putas, estava muito bom. Gritei seu nome, pedi pra ela me fuder. Como posso ter me tornado tão puta? Esfregavamos com mais intensidade, gemiamos mais alto. Senti uma vontade enorme de gozar junto com ela. Até que então, gozamos. Ela me beijou, colocou sua roupa e foi dormir. Depois desse dia, nossos finais de semana juntas nunca mais foram os mesmos.

11:32 - 28/12/2012 - comments {0}

Comendo a cunhada


 Minha noiva tem familia no interior de SP, e em um feriado fomos visita-la. A casa era simples, 2 quartos, 1 banheiro, uma piscina com churrasqueira e um gramado. Naquele feriado, a irma e o irmao da minha noiva tambem foram visitar os pais, ja que todos eles se mudaram para a capital. Minha cunhada tinha 25 anos, e eu 30, ela era loira, peitos avantajados, uma barriga malhada, uma bela bunda e pernas de chamar a atencao. Em um dos dias do feriado, fizemos um churrasco, e depois de comer todos foram tirar a “soneca da beleza” e ficamos apenas eu e minha cunhada na frente da churrasqueira, mais especificamente, nas espreguiçadeiras da piscina . Conversamos sobre nossas vidas profissionais, hobbies e outras coisas, até chegarmos nos relacionamentos, perguntei para ela se ela estava namorando, ela disse que e ultimo namoro tinha acabado faziam 8 meses, e que desde entao estava na seca, disse que minha noiva tambem nao fodia muito e a conversa fluiu normalmente. O que nao esperavamos era a chuva que caiu, uma chuva forte, com alguns granizos, fomos correndo para a parte coberta da churasqueira, e quando sentamos reparei que por baixo da blusa branca decotada, ela nao estava usando sutia, por estar molhada, pude ver aqueles seuos redondos com mamilos medios e marrons, mais duros que nao sei o que, isso fez com que meu pau virasse pedra, e como estava de sunga, era impossivel esconder. Estavamos cercados por agua, o caminho ate a casa estava obstruído e só conseguíamos ver uma imensa parede de chuva. Ja que estávamos inacessíveis, comecei a massagear meu penis, e ela, muito gentil, comecou a massagea-lo tambem, quando ela colocou a mao na minha sunga, tomei um susto, e ela disse que nao tinha problema, por que ninguem conseguiria ir ate la e que minha noiva nao precisaria ficar sabendo. Aquilo foi a minha deixa. Tirei minha sunga expondo meu penis e deixando ela me masturbar, ela me masturbou com movimentos leves, ate que seus labios sedentos nao aguentaram e foram passeando pelo meu corpo, ate encontrar meu pau, ela lambia a cabeça, massageava as bolas e de vez em quando, enfia tudo na boca, mas logo se engasgava e voltava para os curtos movimentos verticais, sem controlar meu prazer, puis minhas maos naqueles cabelos louros e comecei a empurrar sua cabeca, ate que nao aguentei e gozei em sua boca, ela se espantou com a quantidade, mas engoliu tudo. Era minha vez de agrada-la. Rasguei sua blusa decotada e comecei a lamber seus mamilos, que estavam mais duros que pedra, hora chupava seus seios, hora dava beijos naqueles labios carnudos e vermelhos. Passei minha lingua por todo seu corpo, ate chegar na sua vagina, comecei a estimular seu clitoris com meus dedos, mas ao ver que estava morrendo de prazer, abaixei e coloquei minha boca naquela buceta molhada e sedenta, passei minha lingua por toda a sua buceta, mas fui interrompido por um grito: —Enfia logo!!!!! Estava sem camisinha! Tinha deixado todas na minha mala, ao ouvir isso ela se virou, ficando de quatro, empinando aquela bunda gostosa, nao pensei duas vezes! Enfiei tudo de uma vez, ela soltou um gemido que me fez enfiar com mais vontade ainda. Ela estava de quatro e eu com meu pau dentro dela, abracei-a por tras e comecei a passar a mao por aqueles seios naturais, redondos e firmes, estava massageando seu mamilo quando ela disse que estava perto de um orgasmo, tirei minhas maos de seus peitos e comecei a massagear seu clitoris, ela teve seu orgasmo, soltando pequenos e altos gemidos, que eram abafados pelo som da chuva, tirei meu pau de seu cu e comecei a me masturbar em cima de seu rosto, gozei mais una vez, teria gozado outras mas a chuva estava parando, e logo minha noiva voltaria de seu sono da beleza. Entao pulamos na piscina para se limpar, mas ao pegar minha sunga para entrar na agua, lembrei que esta tinha um bolso com uma camisinha guardada, nao perdemos a chance, entramos na agua e coloquei meu pau naquela buceta gostosa, ouvir o barulho de nossas coxas se batendo fez com que ela tivesse mais um orgasmo, e que eu gozasse mais uma vez. Quando nos limpamos a chuva ja tinha passado, e nossos familiares ja estavam a caminho. Foi um feriado otimo, mas infelizmente tive que voltar para sao paulo, ela veio me visitar em casa algumas outras vezes, mas sempre com minha noiva junto, espero um dia poder encontra-la sozinho novamente, para podermos repetir a dose de orgasmos e caricias.

11:30 - 28/12/2012 - comments {0}

Adrielle 19 anos - Contos Eroticos

Meu nome é Adrielle, tenho 19 anos e faço faculdade em uma cidade próxima da minha.

Desde o primeiro dia de aula, fiquei caidinha pela minha professora de português. Ela é muito atraente! Confesso que nunca senti um desejo tão absurdo quanto o que senti quando a vi pela primeira vez! Então comecei a tentar chamar sua atenção sentando na frente de sua mesa, usando roupas sensuais e sendo a melhor aluna da turma.  O ano foi  passando e eu louca por ela. Todos os dias desejava aquela professora, não poderia imaginar que era um sonho impossível. Chegando ao fim do ano, preparamos uma festa onde todos os professores confirmaram presença, menos ela, que disse que faria um esforço para estar presente, mas que não poderia garantir… como era difícil me conter!

Minha Professora Gostosa

O dia da festa se aproximou e eu me produzi toda, coloquei um vestido bem curto, caprichei na maquiagem como nunca, até os meus pais ficaram de boca aberta quando me viram, mas eu não quis que eles me elogiassem, queria que ela enlouquecesse quando me visse.

Chegando à festa, todos ficaram olhando pra mim, quando de repente ouvi bem baixinho no meu ouvido: “Nossa, que coisinha mais linda essa garota” Virei pra ver quem era e ali estava a professora que eu tanto desejava. Pegamos algumas bebidas e fomos para a pista de dança. Logo ela veio se esfregando em mim, e eu podia sentir meu corpo inteiro estremecer.

Ela me convidou para irmos para um lugar mais tranquilo da festa, onde não teria mais ninguém. Começou a me beijar enlouquecidamente, passando sua língua por dentro da minha orelha, foi descendo beijando meu pescoço até chegar aos meus seios…. pude sentir sua boca delicada e quente tocando meu corpo e queria explodir de tanto prazer. Rapidamente, ela me encostou na parede e abaixou-se, colocando minha perna em seu ombro, e começou a passar a língua nas minhas pernas. Quando ela tocou no meu clitóris, mordi os lábios pra não gritar… o desejo era tão forte, tão intenso, que sentia os meus sentidos indo e vindo, totalmente fora de mim.

Enlouquecida, ela começou então a penetrar dois dedos dentro de mim com muita força, fazendo eu gemer cada vez mais alto. O medo que alguém aparecesse me dava calafrios, mas eu não tinha condições de parar. Não queria que aquela noite terminasse sem que ela sentisse o mesmo prazer que eu. Não poderia deixar que ela me esquecesse. Toquei seu corpo com impetuosidade e pedi que deitasse sobre uma mesa… ali comecei a chupá-la, com carinho, calma e delicadeza…. ela se contorcia e dizia que queria mais, e mais, e mais… até que teve um orgasmo delicioso. Comecei a beijá-la, nos limpamos, nos arrumamos e fomos novamente para a festa. Quando fomos embora, não sabia como deveria agir…. ela, muito mais experiente que eu, me beijou e disse exatamente o que eu queria ouvir: “isso não pára por aqui mocinha… é só o começo”.

10:36 - 20/12/2012 - comments {0}

Carol 21 anos - Contos Eroticos

Olá, meu nome é Carol, tenho 21 anos, sou loira, olhos castanhos, não sou muito alta, tenho a boca bem carnuda, seios e bumbum deliciosos (modéstia a parte).

O conto que vou descrever a vocês já faz um tempo que aconteceu.

Eu estava fazendo algumas pesquisas da faculdade, enquanto o dia lá fora estava pegando fogo de tanto calor. Decidi, então, tomar um banho pra ver se aliviava aquele calor imenso.

Então lá fui eu… Entrei no banho bem gelado…Hummm que delicia!!!  Comecei então a lembrar de uma vez em que eu e meu namorado fomos passar um fim de semana em uma chácara e foi maravilhoso. Com tantos pensamentos, fiquei excitadíssima…

Alguém bateu na porta, desliguei o chuveiro e rapidamente me enrolei na toalha e fui ver quem era… Adivinha hein?! Meu amor, Marcos acabara de chegar!

Ele me vendo toda gostosa enrolada naquela toalha já ficou muito louco. Agarrou-me com força e disse ao pé do meu ouvido “Nossa que delícia”.

Então fomos para o quarto, como eu estava cansada de um dia intenso de trabalho ele propôs uma massagem…

Deitei sobre a cama, só com aquela tolha sobre mim e nadinha por baixo…

Ele foi me desenrolando e me deixando totalmente nua. Pegou alguns óleos de massagem que havia dentro do meu armário e começou então aquela deliciosa massagem.

Não demorou muito para o negócio começar a pegar fogo mesmo. Ele então me vira rapidamente me chupando toda! Nossa! Pireiiii…. Já estávamos morrendo de tesão.  Enquanto ele me chupava com aquela deliciosa língua eu acariciava meus seios com um desejo dele incrível, aquele homem foi subindo até meus seios e sugava feito um louco, aquele foi um dia de puro prazer.

Ele novamente desceu, abriu minhas pernas e começou a me lamber todinha, enquanto me chupava colocava dois dedos dentro da minha vagina com toda força, me proporcionando um prazer absurdo…

Não demorou muito, gozei gostoso, tudo na boca do meu namorado, ele ficou maluco, foi arrancando toda sua roupa e deixando aquele membro enorme bem na minha cara… Não resisti e o chupei bem gostoso. Ele cada vez mais cheio de tesão, ia fazendo movimentos segurando minha cabeça, até que tirou da minha boca e gozou tudinho no meu rosto.

Já que a situação estava assim, entramos no banheiro para tentar tomar um banho… Não foi como o esperado, ele me virou, me deixando de quatro e foi encaixando bem devagar enquanto eu pedia que fosse com muita força. O desejado foi acontecendo, ele segurava em minha cintura com muita força gemendo e me fazendo gemer, gemer e gemer….

Estava muito bom, mas lembrei que minha mãe estava pra chegar e a qualquer hora ela podia aparecer em casa, transamos intensamente e tomamos banho. Trocamo-nos e ficamos assistindo tv, caso alguém chegasse, jamais imaginaria que uma massagem poderia ter causado um incêndio naquela casa.

10:34 - 20/12/2012 - comments {0}

A amiga gostosa

Olá, só pra lembra os nomes são falsos :)

  Eu sempre andei com minhas melhores amigas Bruna, Renata e eu. A Bruna é

 daquele tipo de garota mais ‘popular’, a mais descolada de nós, e a Renata, ela é loira dos olhos azuis, cabelos lisos com a ponta encaracolada e muito branquinha, e um corpo de babar rs.  Enfim, numa sexta feira, combinamos de sair entre amigas, como de costume. Mas caiu uma tempestade que Deus nos acuda. A Bruna desmarcou, pois havia nos dito que com tal chuva mal conseguia sair de casa… Nesse dia minha mãe tinha ido dormir na casa do seu novo namoradinho, me deixando sozinha em casa. Eu, já desanimada, fui ver um filminho que passava na TV, que tinha umas ceninhas lésbicas que me excitou, fui ficando louquinha com aquilo… Quando  de  repente a campainha toca…  Levantei meio assustada e fui ver quem era. Era  a Renata ensopada na minha porta kkkkkkkk  Abri mais que depressa a porta pra ela, a fiz entrar e fui buscar toalhas e uma muda de roupa pra ela. Depois de já seca e trocada, me perguntou se podia dormir em casa… Eu de pronto já disse que sim. Fui até meu quarto e trouxe umas cobertas pra gente ver o filminho que estava passando na TV rsrs…  Depois de um tempo vendo filme, começou a passar aquelas ceninhas sabe ? kkk E eu só de olho na Renata, que logo logo se arrepiou e corou todinha… Eu já morrendo de tanto tesão já planejei minhas segundas intensões…                                                                             Comecei a falar baixinho em seu ouvido

“Ta gostando do filminho Ré?”

“To sim”

“Você já tentou fazer como aquela ruivinha do filme?”

“Naaaãaaao, mas queria poder fazer rsrsrs”

Eu logo entendi seu recado, fui me aproximando dela, segurei sua nuca e comecei a beijar seu pescocinho, e ela gemia baixinho toda arrepiada… Dei um beijo nela, que por ali ficamos durante acho que pelo menos meia hora. Seu beijo era uma delicia, ela roçava sua lingua na minha dentro da minha boca, me fazendo ficar com ainda mais tesão do que eu ja estava… Sem desgrudar nossas bocas fui tirando cada peça de sua roupa, deixando ela nuazinha pra mim. Peguei e a levei para o meu quarto.  A joguei em minha cama e subi por cima dela, a beijando e mordiscando por inteira.  Comecei mordendo e beijando sua orelhinha, sua boxexinha, sua boquinha, seu pescocinho, e , quando cheguei em seus peitinhos, me demorei mais . hehe  .. Aí comecei a deixar as coisas mais quente, fui descendo a finalmente cheguei em sua bucetinha raspadinha cor de rosa. Beijei as partes internas de sua perninha, beijei seus lábios maiores e os abri, deixando a sua bucetinha bem aberta pra mim. Fui passando a pontinha da minha lingua de leve, só para excita-la… Mas depois de não muito tempo não me aguentei e comecei a devora-la, me ajeitei entre suas pernas e fui fazendo movimentos circulares e de vai e vem dentro da sua bucetinha gostosa..  Ela gemia o meu nome e pedia por mais e mais.. Então percebi que ela estava por quase gozar, e coloquei meus dedos nela e fui intensificando os movimentos aos poucos. E, depois de umas entocadas ela urrou bem alto e começou a ter espasmos ali na minha frente, rolando de lado para outro,e eu fui a acalmando, acariciando ela… Então deitei ao seu lado, a peguei em meus braços e a beijei por mais um tempo. Ela logo se acalmou, trocamos palavras carinhosas, trocamos mordiscadinhas e nisso fomos pegando no sono e dormimos abraçadinhas. quando acordamos dei um beijo nela e logo ela teve que ir pra casa :( mais marcamos uma proxima …

10:35 - 17/12/2012 - comments {0}

Feliz aniversário Papai

Ele congelou quando ele entrou no quarto, seus olhos seguindo uma trilha de pétalas de rosa pelo chão de sua enteada, nude e sedutor na cama se escondeu.

"Feliz aniversário, papai", disse ela, segurando seus joelhos e espalhando-se abrir ainda mais.

"Kaitlyn? O que ... o que diabos você está fazendo assim? "Ele tentou fazer soar como uma reprimenda, mas ele já podia sentir seu pau mexendo em suas calças.

"Mamãe está fora para a noite, então eu pensei que era um momento perfeito para o seu presente." Ela deixou os dedos trilha até suas coxas através dos meias pura. "Eu sei o que você queria há anos, papai. Eu vi o jeito que você me olha. "

Ele engoliu em seco e se aproximou, seu pênis uma haste de aço já.

"Uma noite de diversão tabu homem, aniversário. Mamãe nunca vai saber. "

02:52 - 22/11/2012 - comments {0}

O Padre do Diabo

Tudo começou, assim que me tornei Padre e fui transferido para uma Paróquia, no interior de Minas, lá chegando, encontro com o Vigário local, que deve ter uns 65 anos, muito simpático e acolhedor, este me recebe de braços abertos, me mostra todas as instalações da igreja, me dá as instruções do trabalho e me recomenda, com muito carinho algumas pessoas, pessoas estas todas do sexo feminino e com idade avançada. Eu no auge dos meus 26 anos, alto, simpático e dado a uma conversa, faço amizade com todos muito rápido, me tornando muito assediado por quase todos os paroquianos, principalmente entre as mocinhas, como me considerava muito inocente, não levei nada para a maldade, tratando a todos em igualdade de tratamento, sem distinguir quem quer que seja. Num convento próximo, que o Vigário era o responsável, ele me leva e me apresenta a todos digo todas, depois da apresentação, ele se desculpa e se retira com a Madre Superiora, me deixando só com as noviças e freiras mais novas, que imediatamente conversam comigo, sobre muitos temas inclusive sobre como se portar quando de perguntas e temas sobre sexo, fico muito constrangido, mais por não saber nada disso, alem do que está nos livros, do que pelo tema ser tocado dentro de um convento. Elas, sentindo todo o meu embaraço, mudam o rumo da conversa e passamos uma tarde muito agradável, com todas elas muito descontraídas, mais até do que se é esperado para dentro deste recinto. Ao nos retirarmos, sinto o Vigário cansado e com sono, creio que é por ter acordado muito cedo, durante o trajeto ele me pergunta como foi o tempo no convento, se todas tinham me dado à devida atenção, eu respondo que claro, mas comento sobre o comportamento muito liberal delas, que eu achei um pouco estranho, ele me explica que isso devesse ao fato, da Madre ser uma mulher muito avançada e com idéias novas. Ao chegarmos na Paróquia, vamos jantar que é servida por uma das paroquianas, de certa idade, mas muito bonita, um jantar delicioso, e logo depois o vigário some e também a paroquiana, pois não a encontrei na cozinha, subo para os meus aposentos e vejo os aposentos do Vigário aberto e todo apagado, acho estranho, desço novamente para a cozinha e olho no pátio, vejo numa construção anexa, vozes e luzes, curioso vou na ponta dos pés, até a janela, lá chegando noto que é um quarto todo mobiliado e vejo o Vigário na cama com a paroquiana, na maior safadeza, de inicio isso me revoltou ao extremo a ponto de querer lá entrar e passar um corretivo nos dois, mas entre o pensamento e tomar a atitude transcorre o tempo necessário, para transformar a revolta em excitação, meu pinto começa a ficar duro como nos tempos em que era garoto, seguro o meu pinto e ele continua a crescer vendo os dois pelados, observo cada vez com mais interesse, me aproximo da janela, para melhor enxergar os mínimos detalhes da cena, vejo os dois, ele enfiando seu pinto nela e ela rebolando e gemendo essa cena me excita mais começo a mexer no meu pinto que já esta muito duro e assim continuo até que vem o meu primeiro orgasmo, acho que suspirei mais alto pois os dois pararam o que estavam fazendo e foram até a janela, eu quando vi que eles estavam vindo, me joguei no chão e me cobri com a batina, eles não me enxergaram, fecharam a janela e pelo barulho depois de algum tempo eles continuaram a safadeza. Eu me retirei, para os meus aposentos, sem fazer barulho, lá chegando vou para o banheiro me limpar, pois estava todo sujo do meu orgasmo e de terra, meu pinto era um torrão de terra, depois do banho a imagem retorna ao meu pensamento e meu pinto fica duro novamente, eu começo a mexer novamente no meu pinto, algum tempo depois eu fico sabendo, que eu estava me masturbando, novamente chego ao gozo, desta vez sem nenhum susto. No dia seguinte, durante o café, o Vigário me pergunta se eu tinha visto alguma coisa estranha na Paróquia, eu digo que não e ele então diz que deve ser algum gato no telhado, pois ele tinha escutado um barulho. Durante o dia, conversando com as paroquianas mais novas, no pátio, observo que, algumas estão com os decotes mais ousados, deixando aparecer o colo mais do que o aconselhado, vendo o contorno dos seus seios, fico logo com o pinto duro, o que é perfeitamente encoberto pela batina, conversa vai conversa vem, as paroquianas vão indo embora, ficando somente uma, a que estava com o decote mais ousado. Eu não tiro os olhos do seu decote, ela me leva para um banco próximo, para conversarmos melhor, ao sentarmos, meu pinto sobressai por baixo da batina, o que eu não vejo, mas ela sim, na mesma hora, sem me dar tempo de fazer qualquer coisa, ela mete a mão no meu pinto, eu levo um susto, mas ai já é tarde, eu gosto do contato, ela me pergunta se eu estou com tesão há muito tempo, eu não sei o que é isso, ela me diz que tesão é o que sentimos quando o pau fica duro, eu falo desde o momento que cheguei para conversarmos, ela me pergunta se não tem um lugar mais intimo, para irmos, eu me lembro do anexo e que o Vigário tinha saído para umas visitas e que chegaria tarde. Eu a levo para o quarto, que estava aberto, tranco por dentro, ela imediatamente se aproxima, segura no meu pau e começa a levantar a minha batina, me pede para retira-la e começa a abrir a minha calça, pondo meu pinto para fora, quando ela coloca a boca nele, eu gozo, lambuzo o seu rosto e alguns jatos caem dentro de sua boca, que ela engole com prazer, ela termina de tirar a minha roupa e começa a retirar a dela, com movimentos muito sensuais, ela vai tirando peça por peça, o que me dá um tesão muito grande, ela fica nua, um corpo lindo, magra, alta, quadris arredondados, seios lindos, uma visão do outro mundo, meu tesão é tanto que chega a escorrer baba da minha boca. Ela me diz já que eu tinha gozado em sua boca que agora era a vez dela, eu com nojo me aproximo da sua vagina, e o cheiro que exala dela me inebria de vez, perco o nojo e começo a chupar, que liquido delicioso, ela me deita na cama, se vira e começa a me chupar também, acabei de aprender a fazer um 69, ela goza em minha boca e eu bebo tudo e ainda quero mais, gozo novamente em sua boca o que ela bebe tudo, eu continuo com o pau duro, ela abre as pernas e pede para enfia-lo todo na boceta dela, mas devagar, para não machucar, enfio o pau na boceta dela, ela rebola e eu faço, como o Vigário tinha feito no dia anterior, ela me pede para fazer mais rápido, para dar estocadas mais violentas, e assim vou fazendo, ela goza duas vezes consecutivas, até que eu também chego ao gozo, quando saio de cima dela, ela me pede para chupa-la novamente, que é para que fique sabendo o gosto do nosso amor, eu a chupo, o gosto é diferente, mas ainda assim muito gostoso, pego um punhado na boca, e derramo na sua boca num beijo gostoso e prolongado, ela engole tudo, eu fico de pau duro novamente, ela me pede para por a pica no seu cu, ela se Poe de quatro na cama, eu vou por detrás dela, ela pega minha pica, enfia na boceta, que ela diz que é para lubrificar um pouco, me pede para passar saliva no meu pau e o coloca no seu cu, me pede para ir devagar, pois o meu pau é grande e pode machuca-la, eu empurro um pouco, ela pede para retirar, depois pede para enfiar e assim foi me orientando e eu fui comendo o seu cu e que cu, durante uns trinta minutos eu comi o seu cu, ela mexendo na sua vagina com o pau no cu gozou três vezes, quando gozei, foi um gozo longo, que encheu o cu dela de esperma, retiro o meu pau de dentro dela e vejo o liquido branco escorrer de dentro dela, ela me pede para recolher com a boca e dar para ela, assim faço e nos abraçamos num longo beijo e ficamos descansando um pouco, ela se limpa, nós nos arrumamos, arrumamos o quarto e saímos novamente ao pátio, ninguém nos viu, ela se chega e diz que toda terça-feira é o dia dela, se despede de mim e vai embora faceira e satisfeita.

11:54 - 9/11/2012 - comments {0}

Comi minha sobrinha usando o MSN

Sou Luiz Paulo e tenho 37 anos, casado 2 filhos e uma esposa linda e maravilhosa. Sempre concordei plenamente com as decisões de minha esposa. Foi por isso que aprovei a contratação de nossa sobrinha para trabalhar em nossa casa. Melissa é uma mulher de 20 mais ela aparenta ter menos idade, cursando o 2º grau que precisava de ajuda. Sua mãe, irmã de minha esposa vinha de uma separação dolorosa com o marido e passava por dificuldades financeiras. Pediu para darmos trabalho para uma de suas filhas para que ajudasse no sustento da casa. Melissa trabalhava de manhã e a tarde ficava estudando, aproveitando o computador de nossos filhos que estudavam neste horário. À noite ela ia para a escola e dormia em sua casa. Acontece que algum tempo depois, comecei a notar o sumiço de algumas coisas em nossa casa. Sumiam pequenas quantias do bolso de minha calça, xampu, sabonete, perfumes etc . Talvez fosse apenas uma coincidência ou simplesmente uma implicância minha com a menina. O fato é que minha esposa pareceu me ignorar. Mas continuava a notar pequenos sumiços e desta vez as vítimas estavam sendo meu cds. Tinha que dar um jeito de provar para minha esposa que era Melissa a responsável por tudo. Trabalho numa loja, em frente a minha casa, a qual sou proprietário e fica fácil dirigir-se até ela nos fundos. Então certo dia precisei pegar uns papéis e passando pelo corredor do quarto, vi Melissa usando o computador. Ela perguntou se eu precisava de alguma coisa. Disse que sim, que queria minha maleta que estava no quarto. Ela se ofereceu para ir buscar e eu aceitei. Aproveitei e entrei no quarto para espiar o computador. Melissa estava usando o MSN, e se comunicava com algumas amigas. Melissa voltou e me entregou a maleta e voltei para a loja. Ao trabalhar no computador, tive uma idéia. Criar um MSN como se fosse uma adolescente de sua idade, ganhar sua confiança e tentar descobrir se era ela que dava sumiço em minhas coisas. No dia seguinte, praticamente no mesmo horário voltei em casa e pedi a mesma coisa. Enquanto Melissa foi pegar a maleta, gravei o endereço do MSN dela para poder adicionar em meu computador. Quando cheguei na loja, criei um Msn, adicionei seu endereço e não demorou nadinha para que ele aceitasse. O nome da pessoa que criei era Thaís. Mesma idade, mesmo ano de curso morando em uma cidade bem distante, porém na mesma situação, morando com os tios. Minutos depois ela me abordou perguntando como eu tinha conseguido seu Msn ? Disse que consegui com um amigo e consegui enrola-la. Agradeci mas disse que precisava sair e desconectei. Decidi ganhar a confiança dela aos poucos e assim conseguiria descobrir tudo que quisesse. No dia seguinte, precisava verificar uns papéis e antes de conectar o MSN fui até minha casa. Ao passar pelo corredor, vi que Melissa estava deitada na cama lendo. Pela primeira vez notei seu corpinho. Ela estava com um short bem apertadinho. Seu corpo já era bem desenvolvido, com umas coxas grossas e seios fartos. Fiquei excitado. Curioso é que não senti remorso por me excitar com minha sobrinha afinal, ela era sobrinha de minha esposa. Voltei para a loja e fiquei aguardando Melissa entrar no MSN. Não demorou muito. Já a abordei e perguntei o que estava fazendo, do que gostava etc.etc. Fui ficando amigo, ou melhor “amiga” de Melissa. Todo dia conversávamos um pouco e a cada dia que passava, eu ganhava mais e mais a confiança dela. Certo dia precisei ir à minha casa novamente em horário de trabalho e fiquei por lá fazendo umas ligações. Demorei um pouco mais do que de costume. Quando ia saindo, resolvi passar pelo corredor do quarto para quem sabe ter a sorte de ver minha sobrinha com aquele shortinho e Bingo ! Lá estava ela deitadinha de bunda para cima com o mesmo shortinho. E dele pau duro outra vez. Fui até o fim do corredor, despistei e voltei, dei mais uma olhadinha e fui trabalhar. Chegando na loja, entrei no Msn de Thaís e esperei Melissa entrar. Ela demorou um pouco, mas logo se conectou. Perguntei a ele porque demorou para entrar nesta tarde e ela respondeu que demorou porquê o tio estava na casa e ela temia que ele ficasse bravo se não a visse estudando. Na verdade eu nunca a tinha cobrado sobre isso e achei que era uma mentirinha de adolescente. Então aproveitando a oportunidade, perguntei a ela como era o tio ? Esperava que ela respondesse que eu era quieto, rígido, bravo ou sei lá, mas o que ela respondeu, mudou totalmente o rumo dos meus planos com ela. Ela respondeu que eu era bonito e gostoso. E que tinha um corpão de tirar o fôlego. Fiquei felicíssimo ao ler o que minha sobrinha tinha escrito. Pela primeira vez tive certeza que os quase 8 anos de academia e esportes tinham valido a pena. Afinal despertar o interesse de uma jovem adolescente não é pra qualquer um. Meu pau ficou duro, só de imaginar o que aconteceria de agora em diante. Respondendo como Thaís, disse a ela que meu tio era bonito também e por isso mesmo, passei a fazer umas coisas com ele. Melissa curiosa quis saber o que era? Disse que eram umas coisas, que estavam me trazendo muitas vantagens. Que desde que eu fazia isso, eu sempre tinha um dinheirinho para as baladas, para comprar algumas bobagens como revistas, roupas etc. Melissa ficou muito curiosa e quis saber logo o que era. Disse que no dia seguinte lhe contava, pois precisava sair. Ela disse que eu devia “essa”para ela e que ia me cobrar no dia seguinte. Saí do Msn muito excitado. Via a possibilidade real de faturar minha sobrinha. Isso era o Maximo e passou a tomar toda minha atenção desde então. Achei que foi uma boa deixar para lhe contar no dia seguinte, pois assim eu veria se ela realmente tinha interesse e eu poderia pensar mais e melhor no que iria dizer. Em seguida fui ao banheiro da loja mesmo e toquei uma punheta daquelas. Só assim pude trabalhar. Evitei vê-la naquele dia. Quando cheguei em casa ela já tinha saído. No dia seguinte estava apreensivo. Na hora do almoço, minha mulher teve que me chamar a atenção porque estava no mundo da lua. Estava bolando o que falar a Mellissa. Não podia estragar tudo. Na podia assustá-la. De relance na mesa do almoço, eu a olhava. Meu pau ficava duro com freqüência. Eu media aquele corpinho de cima a baixo e imaginava o estrago que meu pau faria nela, caso topasse transar comigo. A tarde antes de entrar no computador, fui dar aquela passeada em casa, só para ver a roupa que vestia. Ela sempre trocava as roupas de trabalho por uma mais confortável a tarde. Estava com o mesmo shortinho. Fui logo pra loja e entrei no Msn. Ela já estava online e desta vez foi ela que me cobrou. Disse que estava com meu tio. Ela perguntou então se eu estava fazendo aquilo que fiquei de contar a ela. Respondi que sim. Ela então quis saber. Fui seco, ou melhor “fui seca”. Disse a ela que transava com o tio e que assim conseguia certas facilidades na vida. Ela respondeu que já imaginava que fosse isso. Disse também que para ela isso seria impossível. Perguntei por que impossível ? Ela respondeu que jamais teria coragem de se oferecer. Disse a Melissa que não precisava se oferecer. Que bastava que fizesse as coisas certas e tudo aconteceria normalmente. Como Thaís me ofereci para ajudar e perguntei se realmente queria fazer aquilo ? Ela disse que sim, pois precisava do dinheiro. Tinha muita coisa que ela precisava comprar. Na hora me senti um crápula, mas, se não fosse eu, seria outro. Perguntei a Melissa se seu tio era realmente bonito e se isso não seria sacrifício demais. Ela respondeu que sim, que era realmente bonito e estava até mesmo desejosa, mas que o problema era não ter experiência nenhuma pois tinha perdido a virgindade para um garoto em cinco minutos e isso era tudo. Fiquei com mais tesão ainda e pedi para que não se preocupasse. No dia seguinte começaria a dar lhe as dicas de como fazer. No outro dia, percebi na hora do almoço que era Melissa que me olhava diferente e fiquei apreensivo. Tinha certeza que tudo ia dar certo e já me preparava para comer minha sobrinha. No Msn a tarde comecei a dar as dicas a ela.Perguntei se o tio, que era eu, ia sempre em casa nos horários que estava sozinha. Ela respondeu que sim e não. Então disse a ele que se caso ele não fosse, ela teria que ligar e dizer que a torneira estava com defeito ou coisa assim. Algo pra chamar a atenção. Deveria estar com uma roupa muito provocante, pois só assim despertariam os desejos e a atenção do tio. Ela concordou e disse que iria fazer isso nesse exato momento e saiu do Msn. Eu fiquei perplexo comigo mesmo. Estava jogando com minha sobrinha. E como as idéias vinham fáceis. Em 10 minutos o telefone tocou e meu funcionário me passou a ligação. Melissa pediu para eu ir a casa ver uma torneira que pingava. Exatamente como sugeri. Fui direto ao seu quarto perguntar qual torneira vazava e me deliciei com a Melissa deitada na cama, com uma mini-saia branca. Ela estava de bunda para cima, com a sainha levantada até o ponto que me permitia ver parte de sua calcinha. Ela disse que a torneira do banheiro é que estava vazando. Cheguei lá e a torneira como era de se esperar esta boa. Então voltei a quarto e vi que Melissa tinha levantado um pouco mais a saia. Dava para ver o inicio do contorno de sua bundinha. Disse a ela que o problema da torneira estava resolvido. Fiquei ali olhando ela um pouco e saí. Entrei no Msn. Logo ela entrou. Reclamou que não tinha dado certo. Bancando a Thaís, disse para não se preocupar. Com certeza o tio tinha notado. Deveria repetir no dia seguinte. Insistir até que tivesse uma brecha. Me despedi e saí do Msn. Na verdade, eu é que não quis que fosse neste dia. Já era tarde e minha esposa sempre chegava às 5 horas e esquecer do tempo num caso desses é normal e muito perigoso. No dia seguinte no que cheguei na loja, liguei para Melissa que iria lá para pegar uns cds. Aguardei uns 15 minutos e fui. Fui direto até o quarto como se tivesse algo pra perguntar. Melissa estava deitada. Fingia que dormia. Estava com saia do dia anterior. Estava de bruços, quase de lado com a sainha bem levantada. Dava para ver boa parte de sua bundinha e ver também que estava sem calcinha. Que visão. Chamei por ela e ela não respondeu. Só suspirou. Me sentei na cama em seu lado e comecei a passar a mão em sua bunda. Ela ficou imóvel. Aproveitei os movimentos e descobri toda a sua bunda.Estava sem calcinha, peladinha. Que maravilha ! Aquela pele lizinha. Aqueles contornos. Ela se movimentou e ficou bem de costas. Levantei-me e fiquei em pé.Ela ficou deitada um pouco e então abriu as pernas. Meu pau estava arrebentando minhas calças. Fui por sobre ela e comecei a beijar sua bundinha . Abri e passei a língua por seu cuzinho. Ela se contorceu. Comecei a passar meu dedo na bucetinha dela, que logo ficou encharcada. Masturbei ela por longos minutos. Ela gemia e se contorcia sempre levantando a bundinha para cima. Nem se preocupava mais em fingir que estava dormindo. Tentei enfiar meu dedo. Ela fez expressão de dor. Continuei assim mesmo. Em breve ela iria enfrenta algo muito maior. Atolei meu dedo em sua bucetinha. Então a virei, e comecei a chupala. Ela gemia, se contorcia. Eu fazia movimentos circulares com a língua, enquanto metia meu dedo nela. Então parei. Fiquei em pé e pedi para que ela se sentasse na cama. Cheguei bem perto dela. Perguntei se ela sabia o que eu queria. Ela não disse nada, apenas começou a desabotoar minha calça, o zíper e depois a abaixou. Perto do rosto dela, ficou apenas aquele volumão do meu pau duro, ainda protegido pela cueca. Ela ficou algum tempo olhando e então abaixou minha cueca também. Olhou para mim e reclamou que meu pau era muito grande. Disse para que não se preocupasse com isso, pois eu saberia como usa-lo e que em nenhum momento iria machucá-la. Ela, nitidamente mais tranqüila, o segurou com a mão e começou a lamber. O abocanhava às vezes, mas tinha nítidas dificuldades em chupar. Logo pedi para que parasse e pedi para que se deitasse. Deitei ao lado dela. Levantei uma só perna e arrumei meu pau na bucetinha. Comecei a empurrar aos pouquinhos. Enfim quando a cabeça entrou comecei a meter. Melissa tinha expressão de dor. Mas não parei, e continuei a meter. Quando podia, enfiava mais um pouquinho até que em determinado momento percebi que ela não expressava mais dor e sim prazer. Então me aproveitei e enfiei tudo. Atolei. Ela fez cara de prazer. Ai meti com força. Ela estava adorando e eu também. Pedi para ele ficar de costas deitadinha, com as pernas abertas. Enfiei tudo e quando pude me deitei sobre ela. Explodi.tirei meu pau e gozei sobre a bunda dela. Que delicia! Ela ficou deitada. Pedi para que ela fosse tomar banho, e que depois eu voltava para conversarmos. Algum tempo depois voltei e lá estava ela nua no quarto colocando roupas. Impedi e pedi para que batesse uma punheta pra mim. Tirei meu pau pra fora e ela começou a me masturbar. Meu pau ficou novamente duro como pedra. Botei ela de quatro na cama e sem pestanejar mandei o pau nela outra vez, sempre cuidando para não machucá-la. Foram mais de meia hora socando naquela bucetinha. Esporrei sobre suas costas. Desta vez, fui tomar banho com ela e pedi a ela que não contasse nada para ninguém. Perguntei se ele tinha gostado. Ela respondeu que sim. Após o banho, dei algum dinheiro para ela e fui trabalhar. Atualmente transamos todos os dias e ensinei a ela como se chupa. Estou muito feliz agora com minha sobrinha. Ela é ótima. Ainda finjo ser a amiga do Msn para ver se ela não esta enjoada de mim. Não está não. Nem de mim, nem do dinheiro. ...

11:54 - 9/11/2012 - comments {0}

Esposa dando pra dois

Esposa dando pra dois Meu conto e real e aconteceu nessa semana santa. Minha esposa é uma morena, 1,70 de altura, seios pequenos, bumbum avantajado e uma carinha de safadinha que eu adoro. Moramos num predio e ela sempre desce pra tomar um banho de sol e sempre vou com ela, nao temos filhos. Ela adora se exibri e eu adoro quando ela provaca os rapazes, por isso sempre compro biqunis bem minusculos pra ela vestir. Na quinta feira ela desceu e la estavam 4 rapazes tomando banhos todos sarados e minha esposa bem exibicionista ja foi logo provocando eles tirando a parte de cima do biquini e pediu pra eu passar o creme bronzeador, eu estava de oculos e vi eles babando percebi tambem o tamanho dos sesu cacetes dentro do suas sungas e minha esposa olhou pra eles e ela se virou e mandou um beij opra eles. nossa comecei a rir e sempre pensei q ela nunca iria me trair, pois dou tudo que ela quer enclusive na cama. Na sexta enos descemos e nao vimos nenhum dos rapazes na piscina e eu comecei a bolinar minha esposa na piscina e comecamos a transar maravilhosamente. No sabado tive que ir trabalha e pedir pra minha esposa ir tomar um banho de piscna mais tarde e disse pra ela na dar bola para os meninos na piscina. falei q iria trabalha ate as 18:00 horas pra ela me espera bem gostosa pra sairmos de noite, ela me deu um beijo bem sacana e que quando eu chegasse queria transar comigo, nossa fiquei trabalhando de pau duro. O meu chefe me diz que iriamos trabalha ate as 12:00 e depois todos seriam liberados, e assim foi feito passei na farmacia, comprei o KY pra comer o cuzinho dela de noite. cheguei no predio e fui a piscina e na vi minha esposa, resolvi subir e fazer uma surpresa pra ela, abro a porta bem devagar e tiro o sapato, quando entro na sala escuto uns sussurros vindo de nosso quarto, quando chego proximo do quarto vejo minha querida esposa dando pra dois dois 4 rapazes, fiquei indignado, pois nunca pensei que ela faria isso comigo, pois fez com dois rapazes, e a safada ainda pegou os dois negros pra comer ela, pois na quinta ela viu o volume na sunga fiquei apenas olhando ela ser comida pelos rapazes, nossa as rolas eras enormes, eu tenho 17 cm de pica os dois deviam ter no minino 23 cm cada um ela tava louca e de onde eu tava dava pra ver ela gozandso horrores. Ela dizia pros negoes: " vai safado come meu cu, se eu soubesse do cacete de vcs dois ja tinha dado pra vcs dois a muito tempo" Ela continuou dizendo: " sempre tive a fantasia de dar pra dois negoes, mas meu corninho nuca quis". quando vi ela recebendo gala dos dois na boca uma coisa q ela nunca deixou eu fazer e gozar na boca dela depois de 8 anso de casados. e ainda engoliu tudinho e lambeu os beiços sai de la e fui pra escada, dei um tempo pra ela se arrumar e voltei pra casa. quando vejo ela toda cheirosa nem parecia ter levado ferro a poucos minutos. Beijo ela e sinto o gosto de gala, pergunto a ela " o q vc tava fazendo ???" ela ficou toda errada e disse nada comecei a comer ela com vontade como se ela fosse uma puta e perguntei se ela queria transa com dois negoes picudos na minha frente, ela respondeu na hora com gozo: " quero sim amor" vc vai ser um corninho. chame os dois negoes da piscina pra comer vc na minha frente, ela disse : ta bom meu corninho, mas e isso q queres mesmo, depois disso vou querer sempre e vc sera um corninho manso" disse a ela" tudo bem amor. Entao ela chamou os rapazes pra comer uma pizza na minha casa, fui abrir a porta enquanto ela se produzia pros rapazes. nos sentamos e ela aparece maravilhosa na sala de vestidinho bem coladinho no corpo da cor branca sem calcinha e sem sutiã, peço pra ela senta no meio dos rapazes. ela com uma carinha de putinha aceitou na hora eu disse a ela: amor quero realizar minha fantasia. MInha esposinha putinha inocente respondeu: qual e sua fantasia meu amo??? eu disse: ve rvc dando pra dois negoes ela disse: ai amor pare com isso vai deixar os rapazes encabulados ela disse: quer ser corninho amor??? sabe q seu pau nao vai conseguir me satisfazer mais ne???, pois pelo q sei negao tem pau enorme. ela perguntou pros rapazes: meninos vcs tem pau grande??? Rafael e Ricardo responderam: so vc vendo ea perguntou pra mim: deixa amorzinho??? eu disse: claro ela retrocou: amor se eu der pra eles vc vai ser um corninho manso e vc sabe q seu pau de 17 cm nao vai mais me satisfazer seras um etorno corno ne? depois disso os rapazes começaram a beija-na minha frente e qundo vi ela tava com o cacete dos dos na mao, ela segurava com maestria nossa eu tava de pau duro vendo aquela cena, minha mulher dando pra dois na minha frente. ela ajoelhou e comevou a chupar os dois na minha frente, quando vio negao arrebitabando abuceitnha dela na minha frente e disse: vai negao me come na frnte desse corno. ele atendeu prontamente e colocou aquela vara nela ela deu um berro de delicioso que estava. depois resevou com o trou rapaz, quando eu vi ela tava pedindo as duas rolas, nossssssaaaa fiquei doido e ela viu como eu tava e falou vem ca corno deixa eu chupar esse teu pauzinho. ela comecou a me chupar e nao aguentei e gozei na boca dela e puxei o cabelo dela e bati na cara dela, dizendo: ta gostando sua puta safada. ela dizia: sim seu corno manso , seu corno mole, nao me come direito agora vou ddar e muuito pra outros na sua frente seu corno. quando eu vi ela recebendo o gozo dos dois na boca e ela ficou toda melada de porra. foi uma delicia e agora sou um corno manso e adoro ver ela dando pra outros

11:53 - 9/11/2012 - comments {0}

Minha Cunhadinha

o q vou relatar agora aconteceu a poucos dias, quando fui passar um fim d semana na praia com minha namorada, minha sogra, minha cunhada e o namorado dela. A dois anos namoro com Amanda e desde quando começamos namorar q sinto uma grande atração por sua irmã Renata, varias vezes já transei com amanda pensando em Renata, e já me masturbei inumeras vezes pensando nela, Renata percebia q eu à desejava e ñ perdia uma chance d me provocar, até q a poucos dias ñ conseguir me conter e finalmente pude desfrutar daquela delicia q é minha cunhada. Chegamos na casa d praia no sabado por volta das 10h da manhã arrumamos as coisas e fomos pra praia onde passei horas admirando o lindo corpo d minha cunhadinha, enquanto minha namorada juntamente com minha sogra e o namorado d minha cunhada só queria saber d beber eu tava adorando aquela situação pq enquanto eles enchiam a cara nem percebiam q Renata ñ parava d se insinuar pra mim enquanto eu a comia com os olhos. Quando voltamos para casa por volta das 5h minha sogra já estava bem alta e foi direto pra o quarto dormir, minha namorada e Sandro tbm estavão um pouco embriagados mas ainda continuaram bebendo até umas 7h e depois tbm apagaram ficando apenas minha cunhada e eu acordados, percebendo q aquela poderia ser a oportunidade q a muito tempo eu esperava, me dirigir rapidamente a cozinha onde minha cunhada preparava o jantar e fui logo dizendo q só precisaria fazer comida pra nós dois pq os demais tinham apagado e tão sedo ñ acordariam, ela continuou fazendo o jantar e fomos conversando sobre varios assuntos. Eu sentado na mesa e ela na pia d costas pra mim, eu ñ conseguia tirar os olhos daquelas coxas torneadas naquela mini-saia d tercido molinho q desenhava bem aquela bundinha redonda, ela sabia q eu estava te admirando e as vezes olhava pra mim por cima dos ombros com um sorriso bem safado o q me deixava ainda com mais tezão. Ela me chamou pra experimentar um pouco da comida q estava fazendo pra ver se o tempero estava bom, eu estava só com um calção d dormir com o pau quase pulando pra fora d tão duro, quando me levantei ela fixou o olhar no volume q tinha sob meu calção parou alguns segundos e passou a lingua nos labios, entendir aquele gesto como um convite erotico, cheguei bem pertinho dela ela colocou a comida em minha boca e virou-se novamente d costas pra mim, o silencio tomou conta do recinto naquela hora, comecei encostar suavemente meu pau naquela bunda maravilhosa e respirar bem proximo a seu pescoço, ela se contorcia toda e deixava escapar uns gemidinhos. Era visivel q o tesão q eu sentia por minha cunhada naquele momento era correspondido, comecei precionar cada vez mais meu pau contra sua bunda coloquei minhas mãos em seus ombros e comecei alisar aquela pele macia, ñ diziamos nada apenas aproveitavamos o momento. Coloquei a mão em sua sintura deslizei ate a barriga e subir ate os seios, baixei a blusa e comecei apertar suavemente seus seios ela segurava minhas mãos e rebolava a bunda em meu pau q mais parecia uma rocha d tão duro, descir um pouco a mão até suas coixas e fui subindo com a mão por baixo da saia e pra minha surpresa ela já estava sem calcinha com a buceta toda molhadinha ardendo d tesão, ela se virou pra mim me deu um bjo demorado na boca comecou bjar meu pescoço e foi descendo pelo peito, pela barriga se ajoelhou baixou meu calção meu pau imediatamente saltou pra fora ela me olhou com um sorrisinho safado e colocou meu pau na boca, ela chupava minhas bolas deslizava a lingua até a cabeça do meu pau e o colocava na boca, aquilo me deixava louco, ñ conseguir me segurar por muito tempo, quando ela viu q eu ia gozar tirou meu pau da boca e começou me punhetar até eu gozar. Ela se levantou e nos bjamos por algum tempo, tirei a blusa dela comecei bjar seu corpo seu pescoço, seus seios, sua barriga tirei sua saia sentei ela na mesa abrir bem suas penas e comecei chupar aquela bucetinha linda rosada e lisinha q eu tanto perseguir, chupei até ela gozar em minha boca, ela ñ se deu por satisfeita ficou d quatro em cima da mesa e me pediu pra q eu a chupasse novamente naquela posisão, era uma visão do paraiso, aquela bunda maravilhosa empinada pra mim com aquela bucetinha bem aberta e um cuzinho branquinho q parecia ta me chamando, comecei lamber o cuzinho dela e ela rebolava freneticamente aquela bunda na minha cara, passei um bom tempo chupando ela naquela posisão. Deitei ela na mesa novamente e pra minha surpresa quando aproximei meu pau d sua buceta ela me disse q era virgem e ñ iriamos passar dali ainda tentei convenser-la a fazer sexo anal mas ñ teve acordo, mesmo assim passamos a noite toda fazendo sexo oral gozei varias vezes e ela tbm. Depois desse dia ñ tivemos oportunidade d ficar novamente mas espero em breve ta relatando pra vcs q conseguir penetrar aquela bucetinha maravilhosa. um abraço a todos!!!

11:52 - 9/11/2012 - comments {0}

Nunca iria imaginar, mais gostei

Nunca iria imaginar, mais gostei Sempre li contos eroticos,e varias vezes me masturbava ao ler os incestos, pra começar tenho 22 anos isso aconteceu quando eu tinha 19 anos, e hoje resolvi contar, sou morena , 1,55, bumbum arrebitado pernas grossas, nao tenho os peitos grandes, eu me acho atraente, por onde passo olham pra mim, vou começar : tudo aconteceu numa quinta feira , quando eu fui com o meu grupo fazer um trabalho de escola, o trabalho foi feito na casa de uma amiga minha , quando cheguei la o pessoal do grupo todo ja estava , fui de vestido pq estava mt quente, o namorado dela tbm estava que por sinal e meu amigo e eu ja tinha ficado com ele, ate ae tudo bem , o nosso trabalho era mt grande, eramos 5 com o namorado dela 6, a minha amiga teve que ir embora para pegar seu irmao na escola, ai os outros meninos tbm foram, ficou na casa eu e os dois, eles tinham ido pro quarto , e eu fiquei na sala fazendo o trabalho, ate ae tudo bem, derrepente mariana me chama, eu fui ve o o que ela queria, chegando la, ela disse : vamos fazer o sexo a tres, ai eu : ta maluca cara , rindo confesso que fiquei mexida, ai voltei pra sala, ela foi começou a correr atras de mim, e me jogou no sofa, começou a passar a mao pelo meu peito, na minha bct ai eu , mari para com isso ai ela que que tem , vamos, o namorado dela é cara rlx, ai eu nao para com isso ! ai ela entao vamos dar um beijo triplo, ai eu ai gente rs , ai foi nos beijamos, os tres mt bom ,rs , o namorado dela começou a colocar a minha mao no pau dele ,e eu para matheus a carol e minha amiga, ai ela manu para vc se eu nao quisesse nao faria nada disso ne ? rs continuamos nos beijando, ate que o matheus saiu e deixou eu e mari nos beijando sozinha, ela começou a passar a mao na minha bct, eu começei a acariciar ela, começei a ficar excitada, e o namorado dela com op pau pra fora, e que pau, minha nossa, ela sujeriu que fossemos pro quarto ai eu nao gente para, ja fomos longe demais , com med de alguem chegar, no quarto o matheus disse que queria ver nos duas se pegando, mari me jogou na parede, começou a me beijar, passar a mao pela minha buceta, eu começei a gostar, estava completamente molhada, eu passava a mao pelo peito dela , levantei a blusa dela começei a chupar o peito dela, ela estava completamente excitada, tirei a blusa dela, e ela meu vestido, e o namorado dela tocando punheta, e pediu pra ela tirar o short, eu estava nua pq quando uso vestido vou sem calcinha, ela tirou tudo estavamos nua , nos deitamos no chao e nos beijamos, começei a passar a mao pela bct dela, enfiei dois dedos e ela soltou uma gemidinha, rebolava nos meus dedos como se fosse uma piroca, o matheus se levantou colocou o pau dele na minha boca e eu começei a chupa-lo igual uma louca, ele gemia, e fudia com a minha boca e a mari começou a chupar minha bct , que chupada cara, me deixava louca, gozei na boca dela, ela bebeu tudinho, ela levantou e deu na minha cara e falou é cachorra ta gostando de chupar o pau do meu marido? eu to, essa pica e deliciosa, ela é ? então chupa ele todinho , e mete na minha bct, eu é cachorra tu quer isso? entao ta vem ca vem me da essa bct , começei a meter na bct dela e ele cavalgando em mim, ate que gozou , tirei o dedo da bct dela, chupei e senti o gosto dela, meti de novo e dei pra ela sentir o gosto dela, ela foi começou a chupar o namorado dela, e eu a chupei junto com ela, e puxei o cabelo dela, e falei quero ve vc fuder com ele, fode, com ele vai cachorra, ele pegou abriu as pernas dela, e começou a mete nisso, eu botei minha bct na cara dela e começei a cavalgar com ela chupando essa chupada era maravilhosa,gozei como nunca, ai ela. agora ele vai te fuder, ele veio começou a me chupar, primeiro e eu chupando a mari, ele disse : ta pronta cachorra pra tomar pirocada, eu : to mete tudo nessa bct que é so de vcs, ele fpoi começou a roçar o pau na entradinha dela, e meteu tudo de uma vez, e começou a me chingar, vai cachorra, toma essa piroca, eu vai me fode, mete tudo , anda logo, vai me soca mais,quero pau , ai a mari, isso fode ela mete a pica nessa cachorra, ´é disso que ela gosta, cada vez ele metia mais, e eu completamente maluca, falava vou gozar, anda mete mais, mete me fode caralho, e a mari se masturbando, me fode logo, anda puta que pariu quero pau, me fode mais , ai a mari para para quero que essa cachorra goze na minha cara eu é? entao me chupa todinha, pra vc beber minha gozar, ela começou e me chupar eu forçando a cabeça dela contra a minha bct ,ate que falei, vou gozar e gozei como nunca a cachorra bebeu tudinho,ai ela agora é a vez do matheus gozar, ai ele vem suas cachorras, nos ajoelhamos e começamos a chupar ele, chupavamos tudo ate as bolas, e ele metendo na nossa bct com os dedos, chupamos por uns dez minutos ate que ele gozou,! foi a melhor foda !desde desse dia fodemos quase sempre

11:51 - 9/11/2012 - comments {0}

Minha esposa se entregou pra outro Homem

melhores momentos da minha vida, quando consegui ver a minha esposa se entregando a um outro homem pela primeira vez. Mag sempre foi uma mulher de chamar a atenção de qualquer homem. Alem de bonita, sempre teve um corpo escultural, seios médios para grandes, coxas grossas, e uma bunda maravilhosamente gostosa. Ela sempre soube disso, e desde que nos conhecemos, eu brigava muito por ela gostar de usar roupas que destacavam estas suas qualidades, chamando mais a atenção dos homens, o que me provocava muitos ciúmes. Com o passar dos anos, fui me acostumando, e ficava até lisonjeado por ser marido de uma mulher gostosa! Como eu sempre gostei de inventar modas para aquecer o nosso casamento, freqüentávamos um cinema drive-in, mais para ficar de sacanagem no carro do que para ver o filme. Logo ao estacionar o carro, ela já ficava pelada, e iniciávamos uma pegação daquelas até o final da seção! Nesta época, comecei a fotografá-la nua também, mas apenas para nós. Ela adorava fazer poses, e acabou sendo o meu hobby favorito. Algum tempo depois, fui trabalhar no interior, retornando para casa apenas nos finais de semana, e então me ocorreu a idéia de alugar uma caixa postal, e passei a publicar as suas fotos em diversas revistas pornô da época. A princípio ela achou uma loucura, mas acabou adorando a idéia. Às sextas feira, ela me aguardava ansiosa para ver as cartas recebidas, nos trancávamos no quarto para ler, e muitas vezes éramos obrigados a dar uma pausa para trepar e acalmar a tesão para depois voltarmos à leitura. Nós recebíamos todo tipo de propostas, a maior parte com baixarias, mas nos excitávamos bastante. Ela passou então a fazer poses, mais provocadoras para as fotos que eram do seu gosto para serem publicadas, mas era só. Ela não aceitava mais nada, nem mesmo responder às cartas, o que eu fazia sozinho, com muito prazer. Depois de uns dois anos nesta brincadeira, um dia a Mag interessou-se por uma carta em especial, onde um rapaz propunha a aplicar-lhe uma massagem, sem que houvesse a necessidade dela despir-se completamente, e nem de ter qualquer outro tipo de relacionamento. Vendo o seu interesse, imediatamente liguei para ele, e passei o telefone para ela. Foi mais de uma hora de conversa, e no final, marcamos um encontro para a semana seguinte. Foi uma semana tensa! O tempo custava a passar, e eu acabei retornando para casa na quinta feira, pois não agüentava mais a tesão! Nas duas noites que antecederam o encontro, trepamos a noite inteira, até que finalmente chegou o sábado! Sábado pela manhã, minha esposa já foi logo falando que não tiraria a roupa na frente de mais ninguém! Porém quando eu sugeri que ela se depilasse totalmente, ela correu ao banheiro, e deixou sua bucetinha lisinha como a de um bebê! Como estava marcado, ás 14 horas estávamos num barzinho de um shopping, quando o Valter chegou. Ainda meio tímido, começamos a conversar e tomar um chopinho, e pouco depois eu sugeri que fôssemos logo para um motel, pois ele ainda iria trabalhar à noite. Ao entrarmos na suíte do motel, pedi uma cerveja para descontrair, e seguindo às instruções do massagista, minha esposa foi para o banheiro, retornando envolta numa toalha, dirigindo-se para a cama, deitando-se com a barriga para cima. Nosso amigo pediu licença para tirar a camisa, pois ia acabar sentindo calor com o movimento. Então, sentando na beira da cama, ele começou a massagem pelos pés e pernas, já deixando a timidez de lado e falando muito, visando descontrair a Mag, que estava visivelmente nervosa. Ao atingir as coxas ele elogiou-as, e deteve-se por bastante tempo, percorrendo-as de alto a baixo, tocando por diversas vezes com as mãos na xoxota da Mag, que estremecia ligeiramente, sorrindo disfarçadamente para mim. A esta altura, ela já devia estar com a tesão à mil! Então, para começar a massageá-la na barriga, o rapaz entreabriu a toalha, e assim que iniciou, já foi abrindo toda, expondo os belos peitos, com os biquinhos tão intumescidos de tesão, que quase não se via a auréola. Mais uma vez ela sorriu, ficando com o rosto mais vermelho que o normal, e assim que terminou a barriga, ele passou a apertar seus seios (eu nunca soube que massageavam seios), brincando ainda com os mamilos que estavam super ouriçados, chegando a beijá-los, ao que ela consentiu com um grande sorriso. Ela estava feliz como nunca com esta nova brincadeira! Dado como terminado esta fase, ele pediu para que ela se deitasse de bruços, e alegando que a calça que ele vestia estava atrapalhando sua movimentação sobre a cama de casal, perguntou se poderia tirá-la, ficando só de sunga, que revelava o quanto ele também já estava se contendo, pelo volume aparente. Reiniciada a massagem, agora com a minha esposa deitada de bruços, destacando a incrível silhueta da sua bunda, Valter passou aos ombros, braços e costas, de uma forma bastante profissional. Ao chegar à linha da cintura, rebaixou um pouco a calcinha pra poder acentuar as curvas e, de repente, sem que ela esperasse, com um só movimento arrancou a calcinha, deixando-a totalmente nua, exibindo a sua deliciosa bunda! Mag ainda ensaiou uma reação, mas aos nossos apelos, permaneceu deitada, e com toda a certeza, era isto que ela desejava! Ele então passou a deslizar suas mãos pelas nádegas, apertando-as, e a todo o momento descia com os dedos pelo rego, evidentemente tocando o cuzinho dela, que suspirava profundamente, e movimentava elevando-se, como se desejasse que os dedos a penetrassem. Esta parte da massagem foi a mais demorada e prazerosa. Depois de um bom tempo, ele pediu para que ela se voltasse de frente, ao que ela atendeu, revelando agora a sua bucetinha depilada, uma delicia! Isto provocou mais um elogio do nosso amigo, e mexeu com a vaidade da Mag. Ele então voltou à barriga, descendo as mãos aos poucos, até atingir às virilhas, e dali passou a masturbá-la, provocando um gemido. Como não houve reação, ele abaixou-se, passando a chupá-la, ao que ela desesperadamente movimentou-se, arrancando-lhe a sunga e engolindo o pau num fantástico 69! A esta altura, já estávamos os três pelados, os dois no 69 e eu me punhetando apreciando àquele belo quadro! Foi quando me lembrei de pegar a máquina fotográfica para registrar a inauguração desta nova fase das nossas vidas. Depois de algum tempo, ela que estava por baixo, empurrou-o para o lado, passando para cima dele, passando a cavalgá-lo freneticamente. Valter passou a apertar-lhe os peitos, que sacudiam à movimentação de cima a baixo, até que ambos gozaram estrondosamente, ficando abraçados ali no meio da cama! Depois de um período de descanso, ela me olhou dizendo apenas, “Foi muito bom!...” Mag esperou até que o pau dele saísse normalmente de dentro dela, e beijando-o na boca, pediu para que ele lhe desse um banho. Fomos os três para a ducha, e depois de uns apertos onde ela ficou sendo o recheio de um sanduíche sob o chuveiro, deixei-os a sós, e fui pedir um lanche e mais cerveja. Quando fui avisá-los que já estava encomendado, ela estava se divertindo esfregando seu corpo ensaboado no dele. Voltei para a cama e tive que aguardar um bom tempo ainda! Voltando ao quarto, fomos lanchar na saleta anexa, e como havia só duas cadeiras, ela não se fez de rogada, e sentou-se no colo do amigo. Uma coisa mais que me agradou, foi que durante todo o tempo que permanecemos no motel, Mag permaneceu totalmente nua, sem a frescuragem de muitas mulheres com quem já me relacionei, que ao sair da cama já procuram vestir alguma coisa ou de enrolar-se para esconder o corpo. A Mag sentia prazer em exibir-se nua para nós dois. Voltando à suíte, os dois resolveram dançar, e eu recostei-me na cama para admirar, vendo o casal agarradinho, com ele correndo com as mãos pelo corpo dela, que rebolava aquele rabo gostoso, com o pau do Valter entre as suas coxas. Depois de algum tempo, ela veio até a cama, colocando-se de quatro na minha frente e pegando meu pau para chupar. Na verdade, a sua idéia era oferecer o trazeiro para o amigo, que entendendo o recado, passou a lamber o cuzinho, enfiando os dedos, e logo depois enrabando-a, como ela adora! Foi a maior felicidade! Um pau na boca e outro no cu! A certa altura Valter gozou dentro dela, e para não perder a oportunidade, enquanto ele foi ao banheiro se lavar, ocupei o seu lugar naquele buraquinho que até então só eu comia, acabando de enche-lo de porra. Depois disso, deitamos os três para descansarmos um pouco, conversando e trocando carinhos com a Mag, que deitada entre nós dois estava se sentindo a rainha da putaria, com tantas mãos e bocas tocando no seu corpo, sendo bolinada a quatro mãos e com duas bocas a sugarem seus peitos. Esta brincadeira fez o tempo passar sem que notássemos. Quando fomos ver, já eram quase meia noite, e o nosso amigo já deveria ter ido trabalhar! Nos arrumamos rapidamente, e o levamos até ao shopping onde estava seu carro. Ao despedirmo-nos, os dois trocaram um grande beijo, e firmaram um dia para um novo encontro para mais massagens! Ao chegarmos em casa, minha esposa ainda ligou para o Valter, para agradecer pelos felizes momentos que nos proporcionou. Depois deste encontro, ainda tivemos muitos outros com ele, e também com outros amigos, que apesar de alguns até serem mais eficientes ou mais bem dotados, mas foi este que mais guardamos boas lembranças.

11:50 - 9/11/2012 - comments {0}

Ciumes

 


Depois de uma discução com meu marido por motivo de ciúmes,coisas de casal, passei a dormir bem a beira da cama, quase caindo, assim foi por alguns dias. O problema é que quando brigamos me sinto muito mais atraida por ele, e ai começou a minha tortura. Todas as vezes que ele chegava do serviço, eu, mesmo com a luz de meu quarto apagada e deitada na cama, o via pela fresta da porta tirando a roupa na sala, e neste dia em especial, ele estava de um jeito que eu adoro ver, com uma cueca branca, daquelas quase transparente,(eu sou louca por cueca branca) que deixa as formas a mostra exatamente como elas estão, da onde eu estava dava para ver o formato de seu pau ereto, arrumado para cima, com seu peito a mostra,(onde eu adoro percorrer com a língua)eu sentia o seu cheiro mesmo longe, não era cheiro de suor, era um cheiro de homem,o cheiro do meu homem, cheiro esse que acho que só eu sinto. Quando eu menos esperava, ele abriu aporta, e ainda com a luz apagada e de cara amarrada me perguntou se eu estava dormindo, eu disse que não, então ele me chamou para tomar banho junto com ele, era tudo o que eu queria, mas sem demonstrar nenhuma atitude suspeita disse que sim, afinal era só um banho. Já embaixo do chuveiro, de costas e ainda de cara amarrada um para o outro, senti ele pegando em minha cintura, passando a lingua na minha orelha, descendo pelas costas e me virando para ele…foi abaixando, colocando a mão dentre as minhas pernas e com a boca passando aquela língua gostosa na minha buceta, que já estava toda molhada desde a hora que o vi chegar, eu sentia minha respiração ofegante, meu coração acelerando, e o meu tesão aumentando com o sobe e desce daquela boca gostosa no meu corpo, então eu foi abaixando junto com ele embaixo do chuveiro, até que segurei seu pau bem gostoso, não via a hora de ter aquela delícia na minha mão, estava inchado, dava pra ver as veias saltando, não tinha como sentir só nas mãos, então eu agachada ia passando a língua na cabecinha dele, e com as mãos acariciando e sentindo cada vez mais inchado,e ele colocando o dedo dentro da minha buceta e gemendo comigo com a água quente do chuveiro caindo sobre nós. Quando me dei conta estávamos alagando o banheiro, eu estava sentada em cima do ralo, e a água se espalhando, assim como aquela porra saindo de mim, deixando minha buceta, minha bunda, minha coxa e os lábios dele molhados. Com a minha pressão abaixando e não aguentando de tesão, pedi para ir para o quarto, ele se secou rapidamente e disse que estava me esperando na cama. Desliguei o chuveiro e respirei, pois já que brigamos por ciúmes eu tinha que fazer algo diferente, algo que o agradace e o fizesse lembrar, deitado na cama me pedindo para continuar de onde paramos, e com a luz acesa, empurrou uma das portas de nosso guarda-roupas que é espelhado, ele deitado de barriga para cima, com cabeça erguida pelos travesseiros e eu de joelhos em cima dele como na “posição do vaqueiro” ele segurando meu cabelo, virando minha cabeça e me fazendo olhar com ele o seu pau entrando e saindo na minha buceta e vendo a porra escorrendo branquinha, com aquele barulho de que está tudo molhado, ele fudendo hora mais forte, outra mais fraca, parando para não gozar antes do tempo porque eu queria mais,eu queria satisfaze-lo ao máximo,sabia que ouvir sacanagem atraia seus ouvidos, mas não sabia o quanto ele gostava de uma putaria a mais, o quanto me queria obscena, sexo promiscuo, sem regras como ele mesmo diz, então ele pediu para eu ficar na cama de joelhos e ainda de costas para o espelho, ele começou a me comer de quatro e ainda nos vendo pelo vidro,gozei bem gostoso, senti um prazer muito grande pois adoro ver ele gemendo pra mim,quando gozei ele me colocou deitada, e em cima de mim, olhando nos meus olhos, e ainda sentindo seu pau inchado molhei meus dedos na sua boca e sentindo sua penetração comecei a me masturbar para ele ver…gozei pela segunda vez, desta vez ele não só sentiu mais ouviu, e com muito mais tesão quiz me comer de quatro novamente, ele agora ajoelhado comigo na cama, pedindo pra eu não me movimentar, só gemer, pedindo pra eu olhar pra ele,me fez gozar e gozou comigo. Tive um orgasmo… Ufa. Que delícia, quem dera todas nossas discussões terminassem assim morreríamos de prazer. Deu até calor escrever esse conto, mas é verídico...

11:47 - 9/11/2012 - comments {0}

Dando o cú a primeira vez e última vez!

 

Sou Loira, casada, tenho 22 anos, tenho olhos verdes (que chamam muito a atenção), tenho pernas grossa, bunda grande e arrebitada, peitos médios e durinhos, 1,75 de altura e 70kilos

Saia com um cara o Fábio que ele é horrível de rosto mas tem um pau que nossa nossa… O Maior que eu já e mais cabeçudo (isso pq já vi muitos)….
Conheci ele quando eu e minha prima (aquela da outra história) estávamos indo para uma balada na primeira semana de Janeiro, era verão e sempre caia aquelas tempestades, nesse dia meus pais estavam viajando, mas eu tinha que ir nessa balada de qlq jeito pq estaria um dos meus grupos favoritos de pagode “Grupo Revelação”, então resolvemos ir de ônibus, era muito simples, era apenas um condução e descia lá perto. Tínhamos que caminha um pouco, quando estávamos na Avenida chegando perto, passou um carro com 3 garotos, só um era bonito, e começou a mexer com a gente, perguntando onde íamos, respondi para onde, e eles disseram que estavam voltando de lá e estava fechado, pq o teto (que era todo daquelas palhas tipo do interior) tinha desabado com a chuva da noite anterior e show tinha sido adiado, não acreditamos, e fomos andando até lá e eles nos seguindo, até que realmente quando chegamos, eles estavam certos…. E derepente começou a chover, não tivemos outra escolha, tivemos que entrar no carro. Eu estava com uma micro-saia, blusa tomara que caía e tamanca, (roupa típica para um pagodão), fomos para um barzinho onde eu bebi seis doses de tequila fora a cerveja (adoro beber) e fiquei muito facinha… minha prima ficou só na cerveja mesmo (sempre combinamos que as duas não podiam beber, para uma ficar sã e poder cuidar da outra), quando fomos ver era madrugada e barzinho ia fechar. Foi ai que disse que eu não ia pagar a conta, daí o Fabio disse que pagaria, mas eu iria ter que paga-lo de alguma maneira depois, disse que não tinha problemas, e fomos levar minha prima para a casa dela e os outro dois meninos para a casa deles. No Caminho da minha casa falei para ele parar o carro em uma ruinha que conheço (já dei muito lá) para conversarmos, começou a pegação.
Ele começou a me beijar maravilhosamente gostoso, desceu a mão para as minhas pernas, e colocou em baixo da minha saia, eu já um pouco exictada pegue naquele volume de baixo do shot de tactel e vi que era imenso, aquilo fez as minha pernas ficarem bambas, e eu gemer com um surruro de tesão enquanto o beijava, ele comentou comigo ainda *gostou?, achou grande* e eu lhe respondi com um gesto: tirei minha calcinha fio dental, esfreguei na boca dele delicadamente, lambi o meu caldinho de excitação e joguei pelo lado de fora da janela do carro. Isso fez com que ele molhasse muito seu shots, daí coloquei a mão dele na minha bucetinha e fiz com que ele batesse uma siririca para mim até eu gozar, pedi para que ele lambesse, e ele obedeceu direitinho, ficou doidinho… Até então eu não tinha tirado o pau dele para fora, daí ele me perguntou se tinha algum Motel por ali na região… Lhe indiquei o caminho, mal entramos no Motel ele estava com o Pau latejando e minha bucetinha estava pulando, na fila de espera, não agüentei, tirei o pau dele para fora e cai de boca, dei umas três chupadinhas ele já gozou na minha boca, percebi que a porra dele estava rala, perguntei se ele namora ele disse que era casado, mas isso para mim não importava mais, já estava ali morrendo de tesão…. Entramos para o quarto, já na pegação, ele subia as escadas me dando dedadas, e tirando minha roupa, quando cheguei na cama já estava sem nada, daí ele foi no banheiro e quando voltou, já estava com aquela cabeçona brilhando para mim novamente, ele começou a se masturbar na minha frente e disse *Agora você vai me pagar a conta de R$380,00 reais do bar* e eu respondi apenas *ok, com todo o prazer*, ele veio para cima de mim e começou a me chupar bem gostozo, forte, apertanto meu grelo e enfiando o dedo no meu cúzinho virgem, novamente gozei muitooooo…. Eu estava fora de mim de tanto tesão, acho que ele percebeu isso e se aproveitou, abriu o frasco de lubrificante que tinha lá para vender e perguntou *Vc é virgem do cú?* respondi que ali nunca tinha entrado nada. Daí ele começou a passa o KY no seu pau e me virou de ladinho, e falou *pois hoje vc vai ver como é bom e porque existe tanto gay na terra*, eu ri mas não sabia se era de medo ou pq estava curiosa com a fala dele… Ele foi passando aquele gelzinho na cabaçona dele e colocando devagar, e eu fui batendo uma siririca para não amarelar… quando fui ver o pau enorme dele já estav todinho dentro de mim. No quarto do motel tinha uma mesinha ele me lecantou com cuidado e me debruçou nela e veio novamente com aquele pau quente e enfiou com toda força, na hora eu gritei de dor e escorreu uma lagrima dos meus olhos, mas depois começou a ficar tão gostoso sentir as bolas dele batendo na minha bucetinha que deixei rolar e pedia para ele meter mais forte, ele perguntou se eu estava gostando disse que sim, daí ele disse para eu esperar um minutinho e veio com um vibrador (daqueles fininhos que parece uma cenourinha) que tbm tinha no quarto * agora você vai ao delírio” e passou gel nele e deitou de brusso na cama e disse para eu colocar no cú dele… Nossa realmente aquilo me excitou… depois de eu bombar um pouco ele me pegou com toda força, me pôs de quatro e introduziu novamente aquela tora em mim, eu toda doidinha já só limpei o vibrador que estava sujo do cú dele e coloquei todinho na minha bucetinha, ele começou a meter tão forte que eu mal conseguia me segurar com um braço só, tive que tirar o vibrador de dentro de mim…. Daí logo ele gritou *vou encher esse seiu cuzinho de porra agora e começou a meter mais forte me segurando pelos cabelos e me dando vários tapas na bunda e eu logo comecei a sentir a tora latejando e jorrando porra dentro do meu cú a dentro… fiquei tão excitada que logo tirei mandei ele deitar e subi em cima dele, com o pau meu duro ainda enfiei na minha bucetinha e sem muito esforço gozei gostoso. Comigo ainda em cima dele, ele começou a meter devargazinho e depois um pouco mais forte, mandou que eu cavalgasse bem gostoso para ele gozar mais uma vez, com isso me senti uma puta e confesso que ali isso me possuiu, meti tão gostoso que pude sentir a tora dele crescer novamente dentro de mim, pude ver a carinha feia dele de tesão (como já disse ele é feio de rosto)… Logo ele me pegou na posição de frango assado, meu cúzinho estava ainda bem aberto, ele fez um movimento que hora entrava na minha bucetinha e hora entrava no meu cúzinho… estava tão gostoso que fui ao delírio… Acho que ele já estava cansando, dái me pegou de ladinho, meteu bem forte na minha buceta e pediu de podia gozar denovo na minha boca, respondi que não, disse para ele gozar dentro, mas que era para ele meter bem forte para eu gozar junto… ele obedeceu direitinho e gozou muitooooooooo… Quando ele tirou o pau dele minha buceta até fez uma barulho de que estava cheio de ar, e cuspiou um monte de porra…
Depois disso ficamos um tempinho na hidro para relaxar, conversamos um pouco sobre nossas vidas, nos trocamos e fomos embora pq já estava amanhecendo, ele disse que a mulher dele ia matá-lo mas que ele daria o cartão de crédito a ela e mandaria ele ir fazer compras que logo ela já estaria abrindo as pernas para ele…. kkkk
No dia seguinte estava sozinha em casa (para a minha felicidade), estava numa ressaca danada, e muita dor no cú…. Dele não parava de sair porra de cor marrom… RS… Só que ele continuava muito aberto… Não sabia o que fazer… Depois de três dias, meu cú começou a doer tanto que fui a um proctologista que consegui encaixe, expliquei que eu havia feito sexo anal (tive que ter muita coragem para dizer isso, mas ou eu falava ou continuaria com a dor) com meu “namorado”, mas como eu estava um pouco bêbada, acreditava que ele tinha abusado um pouco de mim, logo o médico (um senhorzinho) me receitou um remédio que não me lembro o nome mas acredito que era antibiótico e disse que se não melhorasse que era para eu voltar… Mas ainda bem que melhorou.


02:51 - 8/11/2012 - comments {0}

Meu castigo.

 

Da última vez eu havia fugido, tinha dito que ia ao banheiro porque precisava muito e saí pela porta dos fundos da

casa de meu Mestre, sabia que ele havia ficado desapontado demais, pois nem me ligar por dias ele havia ligado.Medo.

E se ele decidisse que eu não era uma Submissa a sua altura, e se ele me trocasse por outra pessoa? A mensagem que

recebi no celular, um chamado, ele havia ordenado que eu viesse sem nenhum tipo de langerie, com toda a higiene a 

rigor e só um vestido me cobrindo. Cheguei ao endereço que eu pos tantas sessões conhecia, apertei a campainha,gritei

nada funcionou, foi então que testei o portão, e estava aberto, um frio gelado passou pela minha espinha e eu fui 

caminhando casa a dentro, entrei em nossa Playroom e o encontrei de costas, só uma camisa social, a gola estava

erguida, tapando sua nuca, ele se virou e eu rapidamente notei que ele não tinha dormido, troquei meu peso de uma

perna para outra, só então ouvi sua voz, que estava rouca e firme.

- Então Evelin, dessa vez, todas as ordens cumpridas? Ele ergueu uma sobrancelha e eu sabia a que ele se referia, eu

apenas assenti, com medo do próprio medo transparecer em minha voz, se eu tentasse falar.

- Muito bem, tire o vestido e de quatro na cadeira de castigos! - Nem precisou repetir, sabia que seria castigada e

enquanto menos desse motivos, menor seria o castigo, ergui o vestido da bainha e subi direto, tirando-o pela cabeça.

Respiração ofegante, já. Fiquei na posição em que ele mandara,logo o senti circular ao meu redor, mexendo em seus

acessórios, então o tapa veio forte, na altura do meu quadril, gemi. 

- Eu vou colocar esse pequeno vibrador dentro de você, e vou alternando as velocidades, se gozar, vai apanhar e até

sangrar, não tenho mais pena, entendido, Evelin? Responda! 

- S-i..m. Sim, senhor! - Me apressei a corrigir. Ouvi um pigarro de sua parte e separei mais minhas perccnas, senti o 

pequeno objeto me invadindo aos poucos, até estar totalmente dentro de mim, sabia que ele era pequeno. Então veio a 

vibração, meu quadril, por reflexo se ergueu mais, minhas pernas amoleceram, mordi meu lábio, impedindo a mim mesma 

de gemer, de sucumbir ao prazer, ouvi a risada escandalosa dele. Ele fez a volta em mim, e já estava só de cueca

boxer, baixou a mesma e aproximou ser quadril do meu rosto. 

- Chupa, engula, anjo! - Entreabri meus lábios, podia sentir que o apelido pelo qual ele sempre me tratav, agora só

era pronunciado por deboche, tomei o membro latejante entre meus lábios e comecei a suga-lo, suguei com rapidez, al-

ternando lambidas e muito leves mordidinhas na glande. O gemido rouco dele, para me castigar por tê-lo feito gemer, 

usando a experiência que eu tinha em seu corpo, ele aumentou a velocidade do vibrador, meu corpo reagiu imediatamente

e eu gritei, com o orgasmo repentino que quase fez-me cair da cadeira de castigos, não fosse a outra canalização das

reações, a pior delas: Eu havia mordido meu dono. Fechei meus olhos com força,quando ele puxou o quadril pra longe 

de mim, o gosto de sangue era forte em minha boca, voltei a abrir os olhos, ele me encarava, tocou em minha intimidade, 

sabia que eu havia tido o orgasmo, então ele rugiu, um grito de fúria.

- Eu te avisei que não deveria ter gozado! E ainda me machucou, sua vadia nojenta! 

Comecei a soluçar, ele nunca havia falado comigo daquela forma, e eu sabia que era culpada, sabia que merecia, só que

existia o sentimento proibido que eu nutria por ele, funguei enquanto ele buscava do armário uma palmatória, fez sinal

pra que eu me levantasse, eu o fiz.

- Deite-se na cama, de bruços, de pernas e braços abertos. Não fale, não gema, não grite, você não tem esse direito!

Assenti, e fui fazer o que ele mandara, engoli em seco, após ouvir os passos dele que agora me assustavam muito, veio

a primeira esbofeteada, com a palmatória, essa alcançou minha virilha, logo outra, e mais outra, no mesmo lugar.

Ele buscou então, metade de um limão e lambuzou o dedo, passando nas feridas, eu arregalei os olhos, me contorcendo, já

que era a única coisa que não fora proibido fazer, respirei fundo, sufocando um grito e um soluço de desespero.

 Agora, agora sim você PODE gozar pra mim! - Ele ria alto, colocou uma espécie de caninho a vácuo no clitóris e fazendo

um movimento semelhante a uma seringa, fê-lo sugar, eu gritei, dessa vez gritei. 

Ele começou a mexer ali com volúpia, a ardência das feridas e a excitação do pequeno cano pouco a pouco se misturando, eu

podia me sentir, cerca de meia hora naquele ritmo depois, quase no meu limite. Ele veio cruel, o orgasmo me sacudiu, me fazendo

tremer e arquejar por ar, meu Mestre percebera isso e sorrira, finalmente a ternura no sorriso. Ele limpara minhas

feridas e retirara o cano. Voltara e deitando em cima de mim, distribuia beijos pelo meu pescoço, até sussurrar-me:

 - Não aja de modo que eu precise castiga-la de novo, Evelin, meu anjo. Me machuca isso.

Eu sorrira, totalmente exasuta e assentira, as lágrimas quentes, do perdão escorreram pelo meu rosto.

 - Eu te amo, meu Senhor. - Me atrevi a dizer, ele apenas sorriu e nos cobriu. Fui carregada para a inconsciência. Nos meus sonhos.


02:50 - 8/11/2012 - comments {0}

Sanduíche de Putinha

 

Meu nome é Tânia. Sempre gostei de mulheres, mas nem por isso deixei de experimentar outras formas de sexo. 
Há alguns anos atrás minha amiga Sandra me convidou para acompanha-la até o sitio de seus pais em Caçapava. 
Como prometia ser um final de semana ensolarado concordei e fiquei curiosa em conhecer a vida no campo. Pelas fotos que Sandra me mostrava a casa era de madeira, estilo colonial, com uma varanda enorme em toda a volta. Tinha grama em volta da casa e piscina.
Seu pai criava alguns animais pequenos e também alguns cavalos. 
Na sexta-feira pegamos a estrada em direção ao Sítio e eu estava ansiosa, não só pelo passeio, como também por uma outra coisa. A Sandra havia convidado uma outra colega, a Milena, e disse que eu iria experimentar algo inédito sexualmente.
Insisti para a Sandra me contar o que era, mas não teve jeito. Ela só garantiu que eu iria adorar. No trajeto para o sítio a Sandra começou a narrar para a Milena as nossas transas, o que me deixou meio encabulada, pois era a primeira vez que a via, mas tinha algo nela que me provocava. A Milena era alta, bonita e tinha um ar misterioso. Quase não falava, mas, esbanjava sexualidade nos gestos. Tinha a voz meio rouca, o que me deixou ainda mais excitada.
Chegamos no sítio já à noite e fomos recebidos pelo caseiro que disse a Sandra que seus pais haviam ido ao velório do pai de um conhecido deles e que voltariam de manhã. A Sandra me abraçou e disse que a noite ia ser maravilhosa. Começamos a beber e nos provocar. A Milena disse que iria tomar banho e saiu. Disse a Sandra que a sua colega era muito misteriosa e fechada. A Sandra me beijou e disse que quando nos conhecêssemos melhor aquela impressão iria acabar.
Continuamos bebendo até altas horas e eu já estava de pileque quando a Sandra disse que queria me mostrar uma coisa. Demos a volta na casa e ela me levou até um local em que se podia entrar por baixo do assoalho pois a casa era construída sobre pilares. Chegando lá ela me mostrou uma fenda na parede do banheiro. De lá dava pra ver uma boa parte do box e da hidromassagem. Ela me disse para esperar lá e saiu. Depois de uns dois minutos a Sandra entrou com a Milena e entraram no boxe. Pensei comigo: Então essa era a surpresa. Por um momento quase fiquei decepcionada, mas aproveitei para admirar o corpo da Milena, já que o da Sandra eu já conhecia muito bem. Elas começaram a se esfregar debaixo do chuveiro e eu pude notar que a Milena tinha um corpo perfeito.
A Milena se agachou e começou a chupar a buceta da Sandra que gemia alto. Elas trocaram de posição e a Sandra começou a chupa-la de um jeito que parecia que estava chupando um homem. Depois ela virou a bunda pra Milena e começou a rebolar se oferecendo. A Milena a agarrou pela cintura e começou um vai-e-vem bem rápido enquanto a Sandra gritava de prazer.
Na hora imaginei que a Milena deveria estar usando um vibrador mas não dava pra ver o cinto. De repente as duas olharam em direção a fenda e me chamaram pra se juntar a elas.

A Milena que até àquela hora só ficava de costas pra minha direção se virou e eu pude ver seu cacete duro. A filha da puta era um travesti. Sai do esconderijo atordoada mas muito impressionada com a surpresa da minha colega. Entrei no banheiro e as duas me esperavam rindo e a Sandra foi logo perguntando o que eu achei da surpresa. Fiquei meio sem ação na hora mas as duas trataram de me agarrar e começaram a chupar o meu corpo inteiro. Fomos para a hidromassagem a Milena me ofereceu seu cacete pra eu chupar. Enfie na boca com vontade enquanto a Sandra saia e dizia que voltaria logo. A Milena tinha a pele macia e em nada lembrava um homem, a não se por aquilo que estava na minha boca. Trocamos de posição e ela chupou minha buceta com maestria. Eu estava sentada na beirada da hidro, totalmente escancarada e a Milena aproveitou e socou seu cacete todinho em mim. Enquanto me fodia dizia no meu ouvido que eu era um tesão, que minha xoxota era quentinha, que estava louca pra me foder desde que me conhecera.
Dizia aquilo com sua voz rouca e eu alucinada gozei cruzando minhas pernas no corpo dela pra aproveitar toda a rola dela. Então eu a fiz se sentar e chupei o melado que minha buceta deixou. Comecei a lamber seu saco todo depiladinho e descer em direção ao seu cu.
A Milena gemeu e tratou de abrir as pernas. Lambi seu cuzinho que piscava de tesão e enfiei um dedo e comecei a mexer dentro dela.
Ela começou a rebolar e pedir mais. Enfiei o segundo, o terceiro, o quarto. Só ficou o polegar de fora. A Milena rebolava alucinada enquanto eu colocava seu cacete todinho dentro da boca. Quando vi que ela ia gozar virei o pau em direção ao corpo dela e a porra chegou até o seu pescoço. Deitei sobre ela e me esfreguei naquela porra. Voltamos para o chuveiro e a Sandra voltou com o restante da surpresa. De mãos dadas com ela veio o Gil, que é filho do caseiro. Sem cerimônia alguma entrou debaixo do chuveiro e começou a me chupar.
Abracei-o pelo pescoço e trancei minhas pernas na cintura dele para ele me foder em pé ali mesmo. A Sandra pediu para Milena entrar na brincadeira e ela veio por trás de mim e fizeram-me de recheio. É o máximo sentir dois cacetes se mexendo dentro de você. Eu podia sentir os dois cacetes se roçando na parede que divide o cu e a buceta.
Na hora de gozar, aproveitei e dei uma mijada de tesão. O Gil e a Milena se beijavam e a Sandra socava o dedo no cu da Milena.
A Sandra disse que também queria gozar e fez o Gil se deitar no chão, sentando no cacete dele e pedindo para Milena rasgar seu cu.
Eu fiquei de fora dessa e aproveitei para admirar um pouco mais o corpo da Milena. Não demorou muito e a Sandra também gozou rebolando feito uma louca. Aí eu fiz a Milena se sentar no lugar da Sandra e assisti uma das melhores fodas que eu já presenciei. A Milena viajou ao sentir o mastro lhe rasgar. Eu e a Sandra ficamos alisando-a enquanto ela gemia desesperada.
A Milena então me puxou e me fez sentar na barriga do Gil e socou seu cacete no meu cu. A Sandra se sentou na cara do Gil para ser chupada e o que se seguiu foi uma seqüência de gemidos e de gozos.
Depois dessa suruba fomos para o quarto para aprontar uma com o Gil. Deitado, tapamos os olhos dele e começamos a passar partes do nosso corpo na boca dele para ele adivinhar quem era. Passávamos o peito, a xoxota, a bunda e por fim o “grelinho” da Milena. E para a surpresa de todos, ele engoliu tudinho sem reclamar. A Milena não perdeu tempo e os dois fizeram um 69 que mexeu com nós duas. A Sandra foi até um canto e veio com dois vibradores com cinto. Mandou eu colocar e escolher a vítima. Claro que quis a Milena e me
posicionei de quatro atrás dela. Dei uma lambidinha no seu cu e pude observar a rola dela todinha na boca do Gil, que estava na posição de frango assado, com a Sandra levantando as pernas dele e socando fundo. Não demorou muito para os dois gozarem que nem “loucas”.
Foi um final de semana inesquecível para mim. Transamos de todos os jeitos e posições.
Os pais de Sandra voltaram no dia seguinte e não notaram nada. Inclusive o pai de Sandra não tirou os olhos de Milena.
Tivemos outros fins de semana agitados lá, mas deixo pra contar uma outra vez.


02:49 - 8/11/2012 - comments {0}

Minha primeira vez.


 Olá galera! Atendendo a pedidos, vou contar como perdi meu cabaço. O marido da minha tia é o meu padrinho e sempre foi muito “carinhoso” comigo. Lembro de mim bem pequena e ele me dando banho. Eu adorava pq ele demorava muito esfregando minha bucetinha. Aquilo me deixava toda arrepiada e depois meio molinha. Acho que foi esses “banhos” que me despertou a tara por sexo desde pequena. Passei a brincar de médico com todos os garotos da minha rua. A gente se escondia em lugares como porão, despensas e tirava a roupa. Daí a gente ficava se tocando e os meninos esfregavam as piquinhas na minha buceta. Meu tio já não me dava mais banho, mas me colocava no colo dele e ficava se ajeitando. Eu sentia o pau dele crescer e aquilo me dava uma sensação muito gostosa. Eu ia muito a casa dele e um dia consegui ficar sozinha com um garoto no porão. Tirei minha roupa e ele tava me chupando, qdo titio chegou. - Que isso!!! O coitado do garoto vestiu a roupa correndo e sai em disparada. Fiquei sem ação. Estava em pânico achando que ia levar uma bronca. Titio mandou eu vestir minha roupa e acompanhá-lo. Trancou a porta da rua, colocando o trinco de segurança por dentro e me levou para o quarto. Me mandou sentar na cama ao seu lado. Eu tremia de nervoso. Ele disse: - Flavinha, desde quando vc faz isso? - Titio…eu…eu…foi a primeira vez. - Amor não minta pra o titio. - É…não sei…é…já fiz um tanto. - E eles metem na sua bucetinha? Pode confiar no tio. Não vou brigar com vc. só quero conversar. - É…Só esfrega. - E vc já viu algum pinto de adulto? - Não…quer dizer, vi um dia pela fresta da porta o senhor nu. - E o que eu tava fazendo? Pode falar. - O senhor ficou nu e depois colocou o pinto na buceta da tia. - E vc gostou de ver? - Sim. - Quer ver agora? - É…quero… Ele ficou nu e eu vi de perto pela primeira vez um pau de verdade. Grande, grosso e duro. - Quer pegar? - e colocou minha maozinha no pau - faz assim pra o tio - e me ensinou a punhetar. Fiquei ali punhetando e ele dizendo que tava gostoso - Agora é a sua vez de mostrar a bucetinha pra o tio - Tirou toda a minha roupa, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha buceta. Que delícia!!! Ali sim era uma chupada. Tive meu primeiro orgasmo. Meu corpo tremeu todo e saiu uma gosminha na minha bucetinha. Depois me ensinou chupar o pau. Chupei meio sem jeito, ele foi me ensinando. Claro que não cabia na boca, mas ele tava gostando. Qdo estava quase gozando, esfregou o pau na minha buceta e gozou na portinha dela. Depois fomos tomar banho. - Ai titio eu tava com saudade desse banho… - Pois é, a gente vai brincar sempre, mas promete que ninguém vai saber. É nosso segredinho. De hoje em diante vc vai ser a putinha do tio, topa? - Topo. Não vou falar pra ninguém. Nem pra Simone (minha melhor amiguinha). - Ninguém, mesmo. Depois disso sempre dávamos um jeito de brincar. Eu tava cada vez mais esperta e ele me fazendo gozar cada vez mais gostoso. Isso durou uns quase 5 anos. No dia em que tava fazendo 11 anos a gente foi brincar e eu disse: - Titio não acha que já pode me comer? igual aos filmes que a gente ver? - Mas vc ainda é muito novinha. Nem menstruou. - Ele me ensinava tudo sobre sexualidade. - Mas titio eu quero. Vejo o senhor metendo na tia, eu quero tbém. - Continua assistindo nossas trepadas, né danadinha. - O senhor faz com a porta entreaberta…aí eu olho. Eu adoro. E quero que o senhor meta em mim. Ele colocou a minha mão no pau dele… - Será que vc vai aguentar isso nessa bucetinha? - Aguento, me dá ele de presente de aniversário. - Ok. Pegou um lubrificante na cômoda. Abriu minhas pernas, lambeu minha bucetinha, fizemos um 69 durante um tempinho. Tornou me colocar na posição papai-mamãe, lubrificou minha buceta por dentro e por fora e colocou o pau na entrada. Pressionou, tava apertado, entrou a cabeça. - Ai, ai… - Falei que vc não ia aguentar. - Eu aguento, vou ficar quietinha. Pressionou mais encontrou a resistência. Me distraiu chupando meus peitos, meu pescoço…e quando eu menos esperava deu uma estocada. Dei um grito, vi estrelas, ardeu muito. Ele ficou quietinho e disse: - Seu cabacinho se foi. Agora vou ficar quietinho pra parar de arder um pouco. Vc que vai mexer qdo aliviar. Aliviou a dor e eu aos poucos fui mexendo. Qdo vi tava rebolando no pau do meu tio, mastigando ele. Gozei uma vez, fiquei molinha. Ele tomou as rédeas da foda e começou a meter gostoso até que me inundou de porra e caiu arreado em cima de mim. Ficamos assim um tempinho. Aí ele levantou com o pau pingando sangue. Fomos pro banheiro, ele me deu um banho, a buceta tava dolorida, ele massageou e chupou dizendo que era pra aliviar a dor. - Pronto Flávia, agora vc é mesmo a puta do titio. Vou te ensinar muitas coisas. Quero vc cada vez mais putinha. Vou comprar um anticoncepcional pra vc, para evitar filho. Mesmo não tendo menstruado ainda, ninguém sabe, né? Não posso te levar no médico, pq ele vai descobri que te comi. Uns dois meses depois eu menstruei, mas sou puta do meu tio até hoje. Já fui casada, mas nunca deixei de trepar com ele que tem hj 68 anos, mas trepa como ninguém.


02:49 - 8/11/2012 - comments {0}

Fui putinha no cinema.

 

Sou uma mulher casada e amo meu marido temos uma ótima vida sexual ,mas sempre tive fantasias que sei que ele não entenderia e por esse motivo prefiro não falar nada pra ele sobre algumas delas , sou fogosa e apesar de já ter 38 anos tenho um corpo legal , bunda arrebitada ,coxa malhada ,sou morena clara com cabelos lisos e olhos castanhos mel , meu marido tem muito ciúme porque sabe que muitos homens me desejam.

Sempre tive imensa vontade de dar pra 2 ,3 ou mais homens ,só que nunca tinha tido oportunidade e sempre tive a fantasia de um dia numa sessão de cinema algum cara sentar do meu lado e começar a me bolinar ,e eis que uma tarde eu resolvi ir pegar uma sessão num cinema perto de casa ,pois estava sozinha e entediada e fui para me distrair um pouco. 

Nesse dia me arrumei ,colocando um vestido vermelho decotado de malha , coma as costas de fora meio solto na altura do joelho , uma calcinha de renda bem enfiada no rabo e sai sem intenção nenhuma ,mas ao mesmo tempo pensando que seria bom se algo diferente acontecesse.

Quando cheguei na bilheteria percebi que não tinha muita gente comprando ingresso ,na verdade só vi uns rapazes e percebi os olhares que me deram ,achei que lá dentro teria mais gente , o filme era um drama policial ,mas me enganei quando entrei na sala ela estava vazia e confesso que isso me deixou excitada.

Sentei na penúltima fileira mais ou menos no meio e logo depois vieram dois rapazes na minha direção ,um sentou do meu lado direito e o outro do meu lado esquerdo ,eu fiquei no meio dos 2 .

A luz se apagou e começou o filme , eu já sentia a minha bucetinha ficando molhada só por estar naquela situação muito parecida com minha fantasia . Então depois de alguns minutos , o da direita me olhou e eu fingi que não percebi , então ele encostou sua perna na minha e eu fiquei parada ,pensando se aquilo estava mesmo acontecendo , e o outro começou também a roçar a perna dele na minha e eu fui ficando cada vez mais excitada com a situação ,até que o da direita começou a passar a mão na minha coxa por baixo do meu vestido e o da esquerda colocou a mão em volta do meu pescoço e com a outra começou a tocar nos meus seios ,eu já estava enlouquecida ,quando o da direita chegou na minha xana e começou a bater uma siririca muito gostosa e eu então coloquei minha mão no seu pau e a outra mão no pau do outro ,os 2 estavam com o pau duro e pude sentir que eram grandes , começamos então a nos pegar , minha xana completamente molhada , o da direita começou a mordiscar minha orelha e o da esquerda levantou ,parou na minha frente com seu pau pra eu chupar ,comecei então a chupar com maestria aquela pica grande e deliciosa, enquanto o outro se abaixou e tirou minha calcinha minúscula e começou a chupar minha xaninha molhada , ele chupava com volúpia e me fazia delirar ,então eu gemia ,e chupava o pau do outro até as bolas , foi quando eu gozei loucamente ,mas para o meu delírio eles disseram que ainda não tinha acabado que agora eles iam me comer e eu ia foder como nunca , isso me deixou com muito tesão e como não havia mais ninguém no cinema ,começamos a sessão de foda , fiquei de quatro ,eles colocaram as camisinhas e um deles começou a colocar a cabecinha na minha bucetinha molhada , fiquei com um pouco de medo porque era uma pica de uns 19 cm ,mas ele começou devagar e logo eu já estava me deliciando naquela pica maravilhosa e rebolando muito pra ele , o outro enfiou o pau na minha boca e enquanto era comida por um ,o outro era chupado por mim ,e eu me deliciando como uma putinha .

Os dois então pediram pra revezar e trocaram de lugar ,o meu tesão era enorme ,e eles queriam mais ,então um deles falou que eu ia ter que dar o cuzinho pra eles ,porque agora eu era a putinha deles e isso me deu mais tesão ainda , fiquei com medo, mas eles me garantiram que iam devagar e que um ia continuar na minha bucetinha e meu prazer seria duplo ,foi então que um deles sentou e pediu que eu sentasse no seu pau ,então eu sentei no pauzão gostoso dele numa foda maravilhosa e o outro veio por trás de mim e começou a alisar meu cuzinho que a essa altura já estava num êxtase só ,ele enfiou o dedo e foi alargando meu cuzinho que até ali só era do meu marido , ele continuou com o dedo até que não aguentando mais de tesão pedi pra ele enfiar o pau , empinei um pouco minha bunda e ele penetrou aos poucos ,primeiro senti uma dor e quase chorei ,mas ele foi devagar e foi enfiando cada vez mais fundo até que foi tudo e eu comecei a gemer muito de tanto prazer , dois homens me comendo ,que delícia ! e eu gemia e eles diziam : vai putinha deliciosa dá esse cuzinho pra nós dá ,deixa a gente fuder você toda sua puta gostosa ! nossa eu adorei ouvir a isso, eu ali sendo putinha de dois desconhecidos , a melhor de todas as minhas fantasias agora realizada , dei muito o cuzinho até que meu garanhão gozou gostoso e me deixou louca ,o outro que comia minha buceta disse que agora era a vez dele e então o outro saiu de trás e logo seu amigo veio pra minha bunda que tava molhadinha de tesão igual minha xana .

Fiquei de quatro e ele veio e entrou fácil no meu rabo porque estava muito excitada , ele enterrou fundo com sua pica dura e me comeu como se eu fosse uma cadela e dizia que eu era a puta mais gostosa que ele já comeu ,e eu falava que adorava ser putinha deles e pra eles me arrombarem mesmo, ele comia meu rabo e com os dedos ainda batia uma siririca na minha buceta , o amigo que já tinha gozado , tirou a camisinha e ainda com a pica dura pediu pra eu chupar mais ,eu obedeci e chupei , enquanto o outro se deliciava no meu rabinho empinado , isso é que era foda ,que delícia ! Senti então o gozo chegando e comecei a gemer ainda mais forte e minha buceta se e meu cuzinho se enxarcarem .Gozei gostoso gritando e gemendo como uma vagabunda e eles me chamando de puta . Meu garanhão também disse que ia gozar ,só que queria gozar na minha cara e nessa hora tirou do meu rabinho e jogou fora a camisinha ,então o outro que eu tava chupando tirou da minha boca e os dois começaram a gozar na minha cara.

Fiquei toda lambuzada ,mas muito feliz , um deles ainda me deu um beijo bem gostoso e o outro veio depois também e me beijou , sentamos um pouco , um deles pegou um lenço que tinha no bolso e me deu pra eu limpar um pouco aquela porra , limpei meu rosto e nos despedimos com a promessa de nos encontrarmos na outra semana para mais uma sessão deliciosa de cinema , antes de ir embora passei no banheiro pra lavar o rosto ,sentindo meu cuzinho e minha bucetinha ardendo ,mas completamente realizada com aquele gosto de pica na boca ,na xana e no rabo.

Chegando em casa ,meu marido ainda não tinha ,tomei um banho demorado e quando ele chegou ,o recebi com um longo beijo , naquela noite trepamos muito mais gostoso e o melhor ele nem desconfiou de nada .

Depois desse dia decidi que mesmo amando muito meu marido ,não vou mais abrir mão de um prazer tão gostoso mesmo que com outros ,afinal são minhas fantasias e eu quero realiza-las e o que os olhos não veem …


02:48 - 8/11/2012 - comments {0}

Última Página Próxima Página
Perfil
Olá Pessoal, Meu Nome é Marcus Antonio sou da cidade de Maringá, Casado tenho 35 anos... "Sou um observador que navego nas noites frias e escuras, enquanto todos dormem, eu fico acordo, e a fumaça de um cigarro queimando..."

«  December 2014  »
MonTueWedThuFriSatSun
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031 

Home
Perfil
Arquivos
Amigos
Blogspot
Tumblr
Masturbationation
Facebook
Damas da Noite

Últimos Posts
- Quem mandou não comer ?
- O Eletricista tarado
- Minha sobrinha é um amor
- Safadezas Com Meu Tio Lúcio
- EU QUERIA EXPERIMENTAR UMA ROLA DIFERENTE DO MEU MARIDO
- MEU MARIDO BEBEU DEMAIS E EU DEI PARA O MEU PRIMO GOSTOSO
- MEU MARIDO ADORA QUANDO ME FINJO DE GAROTA DE PROGRAMA
- COMO EU CONSEGUI UMA PROMOÇÃO PARA O MEU MARIDO
- Pensando em vc..
- COM A MAE DA MINHA AMIGA
- Loira gostosa da faculdade
- Aluna e Professor
- Fábio o Negão.
- Priscila Casada
- Trai meu noivo com quatro.
- Secretária
- Desvirtuando
- No cu, não!
- PADRE EU PEQUEI
- MINHA IRMÃ E MEU CUNHADO
- MEU MARIDO ME ARRUMOU UM AMANTE
- MEU CHEFE ME CHANTAGEOU
- A vida é uma Surpresa!
- Minha primeira vez com uma mulher.
- Ele fez o que quis comigo , adoro !
- Minha Instrutora da academia
- Conto thurmic
- Foste uma das minhas melhores fodas.
- Gosto dos tímidos.
- A VIZINHA CASADA
- PRIMEIRO ORAL E ANAL
- A gravidez mais impossível do mundo.
- Publico
- NA PRACINHA
- Melhor conto de todos
- Minha Primeira Vez
- VIRGINDADE PERDIDA A 3
- Safadinhas.
- Comendo a cunhada
- Adrielle 19 anos - Contos Eroticos
- Carol 21 anos - Contos Eroticos
- A amiga gostosa
- Feliz aniversário Papai
- O Padre do Diabo
- Comi minha sobrinha usando o MSN
- Esposa dando pra dois
- Minha Cunhadinha
- Nunca iria imaginar, mais gostei
- Minha esposa se entregou pra outro Homem
- Ciumes

Amigos
- luanasex
- Raquel69
- Adrianasp
- MaySexy